Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Apesar de recessão, Bolsa japonesa fecha em alta

Governo anuncia a segunda redução trimestral consecutiva do PIB; Nikkei ganha +0,71%

Agências internacionais,

17 de novembro de 2008 | 05h37

Os mercados asiáticos receberam de forma diferente o anúncio de que a economia japonesa entrou em recessão, após o Produto Interno Bruto (PIB) do país amargar a segunda redução trimestral consecutiva.   Veja também: Japão entra em recessão e bolsas asiáticas caem na abertura G-20 se compromete a evitar novas barreiras comerciais por um ano Leia o comunicado do G-20 na íntegra   Veja as medidas que precisam ser adotadas   G-20 pede mais recursos e poder de supervisão ao FMI De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise    O PIB do Japão se contraiu em 0,1% entre julho e setembro em relação ao trimestre anterior, já ajustado ao índice de inflação, ou 0,4% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com os dados do Gabinete de Ministros.   O anúncio da recessão não influenciou o mercado japonês, que já esperava a notícia há algum tempo. O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio fechou em alta de 60,19 pontos (+0,71%), aos 8.522,58. O índice Topix, que reúne todos os valores da primeira seção, subiu 3,58 pontos (+0,42%), para 850,49.   Os mercados de Bangcoc e Xangai seguiram o japonês. O índice SET de Bangcoc subiu +0,68%, enquanto que o índice de Xangai aumentou +2,22%.   Já na Coréia do Sul, a Bolsa fechou em baixa. O índice Kospi da Bolsa de Seul caiu 9,94 pontos (-0,91%), aos 1.078,32. O indicador de valores tecnológicos Kosdaq perdeu 2,47 pontos (-0,78%), para 314,98.   A Bolsa de Sydney, na Austrália, também perdeu -2,32%, assim como, Kuala Lumpur -0,36%, Cingapura -0,61%, Jacarta -1,20%, Manila -1,92% e Bangcoc -0,33%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.