Apesar do calor, Rio economiza 8% de energia

O calor que está maltratando o Rio de Janeiro neste final de verão não evitou que o consumo de energia elétrica no Estado esteja 8% inferior ao projetado para o mesmo período do ano passado, segundo informou o secretário estadual de Energia, Wagner Victer. No entanto, ele lembrou que, caso a temperatura não estivesse tão elevada, o consumo estaria 12% abaixo de março de 2001. Apesar da falta de chuvas dos últimos dias no Rio e em várias regiões do País, Victer salientou que não há qualquer risco para o abastecimento de energia elétrica no Brasil neste ano. Ele frisou que a pouca chuva está de acordo com sua avaliação, de que era necessário esperar o início do período seco (abril) para só então encerrar totalmente o racionamento energético. "Para este ano não temos risco, mas se o período seco for muito desfavorável pluviometricamente, poderemos ter problemas no próximo ano", alertou. O professor da Universidade Federal de Salvador, James Correia, também garantiu que as chuvas abaixo do previsto não comprometem o abastecimento. "Com a energia que está sendo contratada e o atual nível dos reservatórios, não há riscos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.