Aplicativo de táxi dos EUA já vale US$ 17 bi

Uber, de São Francisco, recebeu US$ 1,2 bilhão de fundo e seria mais valioso que locadora Hertz

Serena Saitto, Brad Stone, Bloomberg/O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2014 | 02h04

A Uber Technologies entrou para um clube muito seleto: o das empresas bilionárias. O serviço de transporte com sede em São Francisco, por meio do qual as pessoas podem solicitar um táxi ou motorista mais próximo a partir de um aplicativo no smartphone, recebeu ontem um investimento de US$ 1,2 bilhão em uma rodada liderada pela Fidelity Investments.

O investimento, que se refere somente a uma fatia do negócio, coloca a startup à frente de uma grande quantidade de empresas de internet, com valor de mercado de US$ 17 bilhões.

Outros investidores que participaram da rodada foram Wellington Management, Summit Partners, BlackRock, Kleiner Perkins Caufield & Byers, além de companhias como Google Ventures e Menlo Ventures.

O diretor executivo da Uber, Travis Kalanick, disse que manterá a rodada aberta para parceiros estratégicos que podem contribuir com US$ 200 milhões adicionais.

"Trata-se de tirar o máximo proveito das oportunidades que temos à frente", disse Kalanick, que nos últimos quatro anos já levou o serviço em 128 cidades de 37 países.

"Se você consegue facilitar as coisas economicamente para as pessoas largarem seus carros ou vendê-los, e transformar o transporte num serviço, este é um bom negócio."

O aporte recebido pela empresa é um recorde entre startups de tecnologia se considerada apenas uma rodada de investimentos, disse Anand Sanwal, presidente da empresa de pesquisa CB Insights.

A avaliação de US$ 17 bilhões, faz da Uber uma empresa mais cara do que companhias com ações listadas em bolsa, como a empresa de aluguel de carros Hertz e a loja Best Buy.

Startups como a companhia de compartilhamento na nuvem Dropbox e o serviço de aluguel de curta temporada Airbnb recentemente levantaram recursos e estão avaliadas em cerca de US$ 10 bilhões. "É uma prova das oportunidades que se apresentam para a companhia", disse Sanwal sobre o financiamento da Uber. "O sonho da empresa é muito maior do que ser apenas um serviço de táxi."

Recorde. A rodada foi tão intensa que alguns investidores desistiram depois de a valorização disparar para mais de US$ 10 bilhões.

A Uber está angariando novos financiamentos para impulsionar o crescimento e expandir suas operações. Kalanick disse que pretende aprimorar o serviço em cidades onde a empresa já opera e continuar sua expansão internacional.

Nesta semana, a companhia iniciou atividades em Miami, Austin e Orlando, nos Estados Unidos, em Lille, na França, e Tijuana, no México. O serviço planeja estrear em breve no Brasil, a partir do Rio de Janeiro.

A companhia também enfrenta alguns obstáculos envolvendo questões de segurança e protestos de taxistas. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.