Aplicativo permite recarga do Bilhete Único no smartphone

Desenvolvida pela Ponto Certo, tecnologia permite que usuário recarregue o Vale Transporte e consulte saldo no celular

BRUNO CAPELAS, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2014 | 02h05

Um novo aplicativo promete facilitar a vida dos paulistanos que usam transporte público. Quem baixar a ferramenta no celular, poderá consultar o saldo do Bilhete Único, cartão utilizado na Grande São Paulo, e até recarregá-lo, se for um Vale Transporte.

O aplicativo foi desenvolvido pela Ponto Certo, empresa responsável pelo sistema de recargas do cartão, para smartphones Android. Para criar a ferramenta, a empresa usou uma tecnologia chamada comunicação de campo próximo (ou NFC, na sigla em inglês), presente em celulares mais recentes, e que vem sendo testada como tecnologia para pagamentos móveis, sendo considerada uma possível alternativa para cartões de crédito no futuro.

Depois de baixar e instalar o aplicativo no celular, basta apenas iniciar o aplicativo e aproximar o aparelho do Bilhete Único para ter acesso a informações como o saldo e o vencimento dos créditos. Se for um Vale Transporte (VT), é possível efetuar a recarga, caso o empregador já tenha depositado os créditos no mês.

Loja de bolso. De acordo com Nelson Martins, presidente da rede Ponto Certo, o conceito por trás do aplicativo é que "o usuário do transporte público tenha uma loja disponível no seu bolso". Além de verificar o saldo e carregar o VT, o usuário também poderá usar o aplicativo para adquirir créditos para o cartão em uma loja virtual.

O processo, entretanto, ainda é um pouco analógico, porque pede a impressão de boleto e o pagamento em um estabelecimento bancário antes da recarga."Estamos desenvolvendo novos sistemas todos os dias. A ideia é que as filas para recarga acabem, e que qualquer pessoa possa não só carregar o seu cartão, mas também o de várias pessoas", diz Martins.

Passagem. Para o futuro, a intenção da Ponto Certo é que os celulares sirvam não só como posto de recarga, mas como o próprio cartão, validando a passagem dos usuários. "Queremos ter esse produto disponível no mercado em até 18 meses, mas dependemos que o sistema de validadores do transporte público permita isso", afirma Martins.

Outro sistema desenvolvido pela Ponto Certo para diversificar o Bilhete Único é o do relógio Watch2pay. Apesar de parecer com um relógio de pulso normal, ele contém um chip com tecnologia semelhante à do Bilhete Único atual. "Queremos colocá-lo à venda por cerca de US$ 120", planeja Nelson Martins.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.