Apoio à construção criará 1,4 milhão de empregos, diz Dieese

O diretor-técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, avalia que os investimentos de R$ 2,8 bilhões que o governo pretende direcionar ao setor de construção civil podem criar 1,4 milhão de empregos. Ele ressalva que, em tese, poderão também provocar o aumento do número de pessoas procurando empregos e, dessa forma, aumentar o contingente de desempregados. "Em tese, o aumento da oferta de empregos pode também expandir a demanda, porque muitos daqueles que deixaram de procurar emprego voltam a procurar trabalho quando vêem as placas de contratação de pessoal", disse. Ele destaca ainda que as contratações aumentam a massa de rendimentos e ampliam a atividade econômica em todos os ramos. O diretor do Dieese destaca que a medida é "clássica" para criação de empregos, uma vez que o setor de construção civil é caracterizado pela maior rapidez nas contratações de mão-de-obra quando recebe investimentos. "O emprego na construção tem que ser continuado. Para essa continuidade, é também fundamental que o governo mantenha a política de oferta de financiamento do setor em outros anos", afirmou.

Agencia Estado,

02 Março 2004 | 18h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.