Aporte de R$ 1,3 bi na Infraero vai bancar investimento em aeroportos

Recursos são parte de aporte de R$ 1,8 bi que o Tesouro fará na empresa ao longo deste ano

Lu Aiko Otta e Ayr Aliski, da Agência Estado,

03 de julho de 2013 | 12h09

BRASÍLIA - O aporte de capital de R$ 1,358 bilhão da União na Infraero - autorizado nesta quarta-feira, 3 - será usado para bancar investimentos em diversos aeroportos, informou a estatal. Os recursos são parte de um aporte total de R$ 1,8 bilhão que o Tesouro Nacional fará na empresa ao longo deste ano, para compensar a perda de receitas decorrente da concessão dos aeroportos de Brasília, Viracopos (SP) e Guarulhos (SP). Uma parcela anterior, de R$ 300 milhões, autorizada no último dia 12, foi utilizada para pagar a parte da Infraero na sociedade que administrará os três aeroportos concedidos.

Esta é terceira autorização no ano para a Infraero aumentar seu capital. Em março, foi aprovado aumento de até R$ 370 milhões e, no último dia 12 de junho, uma ampliação de até R$ 300 milhões.

Hoje o capital social da Infraero é de R$ 1,009 bilhão. A empresa administra e opera 63 aeroportos do País e é sócia minoritária, com participação de 49% do capital social, das concessionárias dos aeroportos de Brasília, Campinas e Guarulhos, leiloados e concedidos à iniciativa privada em 2012.

Os 63 aeroportos administrados pela Infraero deverão ter movimento de 13,565 milhões de passageiros em julho deste ano. Isso representa um crescimento de 5,77% em relação aos 12,825 milhões de embarques e desembarques registrados em igual período de 2012. Ou seja, serão 740 mil passageiros a mais que no período de férias da metade do ano passado. Nessa comparação não estão envolvidos os passageiros dos aeroportos de Brasília (DF), Guarulhos e Viracopos (SP), ou seja, dos terminais que foram concedidos à iniciativa privada no ano passado.

Devido à previsão de aumento de pessoas utilizando os aeroportos, a Infraero está colocando em operação, a partir desta semana, o plano de alta temporada. Haverá reforço nas equipes de segurança, limpeza e atendimento ao público, informa a empresa.

Facilidades. A Infraero destaca também que, na proposta de facilitar a rotina dos passageiros, já estão implantadas lanchonetes populares nos terminais de Curitiba (PR), Londrina (PR), Recife (PE), Porto Alegre (RS), Natal (RN), Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ). São oferecidos 15 produtos (café, pão de queijo, misto quente e suco, entre outros) com preços mais baixos. Unidades semelhantes já estão em fase de instalação nos aeroportos de Salvador (BA), Galeão (RJ) e Fortaleza (CE). Outra opção de lanches rápidos são as 130 máquinas de autoatendimento de lanches e bebidas não alcoólicas instaladas nos aeroportos de Recife (PE), Fortaleza (CE), Congonhas (SP), Confins e Pampulha (MG), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Galeão e Santos Dumont (RJ) e Salvador (BA).

Também para auxiliar os passageiros, a Infraero ressalta que a rede de internet sem fio gratuita na sala de embarque pode ser acessada em 12 aeroportos: Pampulha e Confins (MG), Manaus (AM), Congonhas (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Galeão e Santos Dumont (RJ), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Salvador (BA) e Recife (PE). Os passageiros podem acessar a rede wi-fi após realizar cadastro contendo o aeroporto de origem, a data, o número do assento e o número do voo. Em 2012 foram mais de 580 mil acessos nos aeroportos. Está em andamento projeto para ampliar o serviço em mais 11 aeroportos.

O "Guia do Passageiro", disponível na internet, também tem uma edição de bolso, com 58 páginas, que está disponível, gratuitamente, nos balcões de informações da Infraero, instalados nos aeroportos. Esse guia reúne informações sobre viagens, diretos e responsabilidades do passageiro e da companhia área, além de explicações sobre o funcionamento do setor aéreo e dicas, como, por exemplo, de devolução de bagagem, de transporte de animais e de produtos de origem animal e vegetal trazidos do exterior.

Tudo o que sabemos sobre:
portos privadosDilmaTUPS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.