Aporte do Tesouro de R$ 4 bi será na CDE, diz Zimmermann

O secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, afirmou nesta quinta-feira, 13, que o aporte adicional do Tesouro de R$ 4 bilhões para o setor elétrico, uma das medidas anunciadas pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, será na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). O aporte faz parte de um pacote para tentar reduzir o rombo das distribuidoras de energia elétrica. A frustração do leilão A-1 de dezembro do ano passado levou as empresas a comprarem eletricidade mais cara no mercado à vista. Sobre esse ponto, Zimmermann disse há pouco que o preço pago pelas distribuidoras no curto prazo estão "com valores maiores". Para tentar equacionar esse quadro, o governo irá realizar um leilão A-0 contratação de energia existente hidro e termelétrica. Zimmermann disse que o leilão deverá ser realizado em 25 de abril e que a entrega da energia será em maio.

RICARDO DELLA COLETTA, EDUARDO RODRIGUES E RENATO VERÍSSIMO, Agencia Estado

13 de março de 2014 | 18h41

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIADISTRIBUIDORASZIMMERMANN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.