AP
AP

seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Após 17 anos, CEO da Calvin Klein deixa o cargo para se aposentar

Tom Murry deixa o cargo no começo de julho e será substituido pelo atual chefe comercial da empresa, Steve Shiffman

Alexandre Dall'Ara, Especial para o Estado

25 de março de 2014 | 19h58

SÃO PAULO - Após 17 anos, o homem que fez a marca de roupas Calvin Klein quase triplicar suas vendas em dez anos vai se afastar do comando da empresa. A grife anunciou nesta terça-feira, 25, a aposentadoria do CEO Tom Murry, que deixa o cargo no começo de julho. Até o fim do ano fiscal, quando se aposenta, ele permanecerá como conselheiro de seu substituto, o chefe comercial da empresa, Steve Shiffman. "É uma honra receber a oportunidade de ser responsável por uma das grifes mais icônicas do mundo", declarou em nota o futuro CEO. 

Em 2002, sob o comando de Murry, a Calvin Klein foi comprada pela gigante do varejo PVH Corporation, que inclui outras marcas do comércio de luxo como Tommy Hilfiger. Em comunicado à imprensa, Emanuel Chirico, CEO da PVM, destacou a ação do executivo durante as negociações para a aquisição da empresa e elogiou sua atuação no comando da marca. "As conquistas de Tom foram nada menos do que ótimas". De 2003 a 2013, as vendas da empresa cresceram de U$ 2,8 bilhões para U$ 8 bilhões. Neste ano, no entanto, as ações da companhia acumulam queda de 12% desde janeiro.

Chirico também elogiou Steve Shiffman. "É um líder enérgico, focado no consumidor, que entregou excelentes resultados em todas as posições que ocupou na empresa". Shiffman declarou que pretende focar na expansão da marca. "Espero fazer todo o possível para fortalecer a presença global da Calvin Klein e continuar crescendo no futuro", disse.

O plano para a mudança de comando prevê uma "transição tranquila", com um semestre de troca de experiências entre o antigo CEO e o novo ocupante do cargo, que possui longa experiência no grupo.

Shiffman foi contratado em 1992 após ocupar cargos de liderança em outra varejista do setor de vestuário, a americana Macy's. O executivo também ocupou os cargos de chefe de operações e presidente da PVH antes de trabalhar próximo a Murry na Calvin Klein por sete anos. "Tom é um grande talento, além de amigo e mentor. Eu espero o auxílio e a orientação dele durante essa transição", declarou.

(Com informações de agências internacionais) 

Tudo o que sabemos sobre:
Calvin Klein

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.