Após 4 meses, governo divulga as regras do Modermaq

Quatro meses depois do lançamento oficial, o governo divulgou as regras do Modermaq, o programa de modernização do parque industrial que prevê uma linha de crédito de R$ 2,5 bilhões, nos próximos 12 meses, para o financiamento na compra de máquinas e equipamentos. Com a aprovação nesta quinta-feira pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) das condições para o financiamento, o programa lançado em março passado poderá sair do papel. Muitos empresários estavam esperado o anúncio das regras do Modermaq para definirem os investimentos para os próximos anos.Em reunião extraordinária, o CMN fixou que os empréstimos do Modermaq terão uma taxa prefixada de juros de até 14,95% ao ano. O limite máximo do financiamento foi fixado em até 90% do valor do bem a ser adquirido. As prestações serão fixas. O CMN determinou um prazo para o pagamento em até 60 meses, incluídos seis meses de carência. A linha de crédito será disponível pelo BNDES. O Tesouro Nacional e o BNDES vão absorver os ganhos ou perdas decorrentes de eventuais flutuações no futuro da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), hoje em 9,75% ao ano. Nos primeiros dois anos, essas perdas e ganhos serão de responsabilidade do BNDES e nos três anos seguintes, da União.Na reunião de hoje, o CMN também aprovou ajustes no Morderfrota, programa que financia a aquisição de tratores e implementos agrícolas. De acordo com informações do Ministério da Fazenda, o atual modelo do Moderfrota, que opera com taxas de juros fixas, a União assumirá o risco de flutuação da TJLP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.