Após acertar no Copom, mercado prevê inflação menor

Após acertar sobre o resultado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) da semana passada, que baixou em 0,5 ponto porcentual a taxa básica de juros (Selic, atualmente em 15,25% ao ano), o mercado baixou sua previsão sobre a inflação de 2006 em 0,01 ponto porcentual. Segundo estimativas da pesquisa Focus, do Banco Central, divulgada nesta segunda-feira, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrará o ano em 4,31%, e não mais nos 4,32% previstos há uma semana.Com isso, o mercado mais uma vez aposta na taxa abaixo da meta central de inflação, estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 4,5% ao ano. Para o ano que vem, que tem como meta o mesmo porcentual, o mercado manteve a projeção de 4,5% pela 42ª semana seguida.Para o final de maio, o mercado ficou um pouco mais otimista em relação ao IPCA, revisando a projeção de 0,20% para 0,17%. Para junho, a previsão ficou em 0,23%, ante 0,24% da semana anterior.As expectativas para o IPCA de 2006 segundo as instituições do Top 5 no cenário de médio prazo se mantiveram estáveis em 4,27%.A revisão mais forte ocorrida nos índices de inflação ao consumidor foi no Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) para 2006, cuja a mediana das estimativas recuou de 3,58% para 3,48%. Para 2007, a média para este índice caiu de 4,40% para 4,33%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.