Após acordo, ações do Citi e Bank of America despencam em NY

Investidores não receberam bem o acordo com Tesouro dos EUA, que elevará para 36% a participação no Citi

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

27 de fevereiro de 2009 | 11h57

As ações do Citi e do Bank of America despencaram abertura dos negócios em Nova York nesta sexta-feira, 27. Os investidores aparentemente não receberam bem o acordo divulgado pelo Citigroup e pelo Tesouro dos EUA, que elevará para 36% a participação do governo norte-americano no banco e diluirá em quase 75% o valor das ações ordinárias do banco.   Veja também: Governo dos EUA amplia controle do Citi e exige diretores independentes Maus resultados de bancos derrubam bolsas europeias PIB dos EUA no trimestre da crise tem maior queda desde 1982 Obama apresenta orçamento que prevê déficit de US$ 1,75 trilhão Veja os principais pontos do Orçamento dos EUA As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise     Paralelamente, o Departamento do Comércio informou que a recessão norte-americana se aprofundou mais do que havia calculado anteriormente, acelerando fortemente as perdas dos índices acionários. O Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA registrou uma queda ajustada de 6,2%, taxa anual, entre outubro e dezembro.   Às 11h15 (de Brasília), o futuro S&P 500 caía 2,33% e o Nasdaq-100 recuava 1,74%. As ações do Citigroup chegaram a cair mais de 40% nas operações pré-mercado após o anúncio do acordo. O Citigroup informou também a suspensão da distribuição de dividendo aos preferenciais e que as baixas contábeis do balanço já divulgado do quarto trimestre atingiram US$ 10 bilhões, elevando para US$ 27,7 bilhões.   A pressão sobre as ações do Citi arrastou outros papéis do setor no pré-mercado como Bank of America (-18%) e Wells Fargo (-1%). Os bancos regionais também perdiam: Fifth Third Bancorp (-17%) e Huntington Bancshares Corp (-11%).   O setor farmacêutico também seguia em baixa, na esteira de ontem por conta do anúncio do orçamento da administração Obama. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.