Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Após acordo, votação de reajuste da PF deve ocorrer na quarta-feira

Caso aprovada em Comissão Especial, matéria segue direto para o Senado

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2016 | 22h10

BRASÍLIA - Após acordo costurado por lideranças do governo junto ao Palácio do Planalto, a votação do projeto que prevê o reajuste dos servidores da Polícia Federal e outras categoria deve ocorrer nesta quarta-feira, 26. Caso a matéria seja aprovada na Comissão Especial, que trata do tema, ela segue direto para o Senado em razão de tramitar em caráter terminativo.

O anúncio do acordo foi feito na noite de hoje no colegiado pelo vice-líder do governo, Fernando Francischini (SD-PR). Horas antes, ele esteve reunido com o líder do governo, deputado André Moura (PSC-SE), e com o presidente, Michel Temer, e ministros palacianos para tratar do tema. "A proposta do governo depois de muitas idas e vindas é encerrar todos esses debates que estamos tendo há dias, e o governo apoiar, logo após votação da PEC 241, umA votação por acordo".

A Proposta de Emenda à Constituição que estabelece limites de gastos públicos (PEC 241) citado pelo deputado deve ter o segundo turno votado amanhã, no plenário da Casa. "A intervenção direta do presidente Michel Temer, do ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) e do ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) hoje à tarde comigo e como o líder André Moura foi positiva", ressaltou Francischini.

Apesar das falas do vice-líder do governo em nome do Palácio do Planalto, o vice-presidente da Comissão Especial, Aluisio Mendes (PTN-MA), ressaltou que até o momento o Executivo não tinha se colocado a favor da proposta de reajuste dos servidores.

"Os sinais que o governo manda até este momento para esta comissão são totalmente diferentes da proposta que fez hoje. Então, espero que essa ação do governo contra a aprovação do projeto cesse e efetivamente o compromisso assumido pelo presidente Temer seja cumprido", afirmou Mendes.

De acordo com o projeto encaminhado ao Congresso, no último dia 26 de julho, ainda pelo governo Dilma, o impacto previsto para os cofres da União com o reajuste é da ordem de R$ 2 bilhões em 2017, de R$ 548 milhões em 2018 e de R$ 546 milhões, em 2019.

Entre os contemplados estão as carreiras de Policial Federal e Policial Rodoviário Federal; Perito Federal Agrário; de Desenvolvimento de Políticas Sociais; e do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.