Após alta histórica, algodão cai nos EUA

Os preços do algodão caíram com força ontem na Bolsa de Nova York. A commodity havia registrado valorização nos últimos seis pregões, atingindo o maior nível de preço em 140 anos. Ontem, participantes do mercado enxergaram uma boa oportunidade para embolsar os lucros. A pluma para entrega em dezembro encerrou a quarta-feira cotada a 123,59 centavos de dólar por libra-peso, em baixa de 4,63%. O declínio de 6,0 cents foi o maior já visto num único dia nos últimos 15 anos. Apesar da queda tão expressiva, analistas avaliam que a demanda para exportação da pluma dos Estados Unidos - razão para os preços estarem tão elevados - continua forte e pode conduzir o mercado até novas máximas históricas. Já na Bolsa de Chicago, os grãos terminaram o dia com ganhos. O trigo subiu pela quarta sessão consecutiva, por causa das preocupações com o clima seco em algumas áreas de produção dos Estados Unidos. Os lotes do cereal para entrega em dezembro avançaram 1,55%, para US$ 7,0275 por bushel. O milho caminhou na esteira do trigo e fechou em alta de 1,09%. A soja encontrou sustentação também nos próprios fundamentos e subiu 0,41%. Os Estados Unidos vêm exportando bastante soja para a China e por isso há meses não veem uma grande queda de preço. E o governo chinês informou ontem que pretende controlar os preços internos das commodities agrícolas, sinalizando mais importação.

Filipe Domingues, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.