Agustin Marcarian/Reuters
Agustin Marcarian/Reuters

Após apagão, serviços de energia são restabelecidos na Argentina e no Uruguai

Os dois países amanheceram sem energia no último domingo. Causas do blecaute ainda são desconhecidas, mas o presidente Mauricio Macri prometeu uma investigação completa do caso

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2019 | 01h44

BUENOS AIRES - Os serviços de energia foram restabelecidos por completo na Argentina e no Uruguai, após uma falha no sistema que deixou os dois países sem energia elétrica neste domingo, 16. 

As autoridades ainda desconhecem as causas do apagão, mas o presidente argentinoMauricio Macri, prometeu uma investigação completa sobre o ocorrido. Ele afirmou que o blecaute foi causado por uma falha na rede costeira do país, mas que as autoridades ainda não sabiam os motivos.

O ministro da EnergiaGustavo Lopetegui, afirmou que não descarta nenhuma possibilidade. "Mas um ciberataque configura entre as alternativas primárias que estão sendo consideradas", disse. 

Gonzalo Casaravilla, presidente de UTE, companhia estatal de energia elétrica do Uruguai, sinalizou que uma falha provocou um colapso e que "todos os sistemas de proteção atuaram em conjunto". "A causa exata não se conhece", afirmou. 

É a primeira vez que um apagão atinge toda a Argentina e o Uruguai. No Paraguai, foram registrados cortes de energia momentâneos e localizados. A Argentina, com 44 milhões de habitantes, e o Uruguai, com 3,4 milhões, compartilham um sistema de interconexão elétrica centralizado na barragem binacional de Salto Grande, localizada a cerca de 450 km ao norte de Buenos Aires e a cerca de 500 km a noroeste de Montevidéu.

Dias dos pais às escuras

O blecaute maciço ocorreu na data em que se comemora o Dia dos Pais na Argentina. Sem energia, Buenos Aires ficou no escuro, com transporte público prejudicado, água cortada e falhas na comunicações por telefone e internet em toda a cidade.

Imagens nas mídias sociais mostraram longas filas de carros nas poucas estações de serviço ainda em operação na capital da Argentina e semáforos escuros, criando caos em lugares, mesmo em um domingo normalmente calmo.

“A cidade está um desastre. Não há semáforos. As lojas não estão abertas. O Dia dos Pais estragou”, disse Liliana Comis, aposentada de 75 anos, de Buenos Aires. /AFP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.