Após bater em US$ 45, barril do petróleo fecha em queda

Os contratos futuros de petróleo negociados nos Estados Unidos atingiram um novo recorde nesta terça-feira, superando os US$ 45, mas recuaram depois e fecharam em baixa também na Inglaterra. A informação de que a iraquiana Southern retomou o bombeamento para dois terminais de exportação importantes no sul do país contribuiu para a queda dos preços. A empresa fez um acordo com militantes xiitas que ameaçavam explodir os oleodutos. Em Nova York, o barril para setembro fechou em US$ 44,52, em queda de 0,71%. Em Londres, os contratos para o mesmo mês encerraram em US$ 41,28 o barril, em baixa de 0,67%.Analistas dizem que a queda dos preços hoje pode não passar de uma correção de curto prazo. Os preços podem consolidar-se, ou mesmo cair um pouco nos próximos pregões, mas a perspectiva ainda é de valorização. "Nada mudou", disse o analista Tom Bentz, da corretora BNP Paribas Futures em Nova York. "Não acho que ninguém acredite que a oferta do Iraque seja mais confiável hoje do que ontem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.