Após Copom, Santander e CEF anunciam redução de juros

Caixa Econômica Federal vai reduzir taxa de onze linhas de empréstimo; no Santander, juro para pessoa física cai

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

22 de janeiro de 2009 | 12h18

Depois do corte agressivo na taxa básica de juros do País, anunciado na quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom), a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Grupo Santander divulgaram reduções nas taxas de algumas de suas linhas de empréstimo.  Veja também:Bancos anunciam redução dos juros ao consumidor BC faz o maior corte na taxa Selic em cinco anosDesemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  A Caixa informou, em comunicado, a redução de taxa de juros em onze linhas de empréstimo. Entre elas estão as de consignado; crédito pessoal; CDC; cheque especial; Crédito Especial Empresa - prefixada; Crédito Especial Empresa - pós-fixada; entre outras linhas para pessoa jurídica. Em seu informe, a CEF comentou que a decisão foi influenciada por "novo cenário de redução das taxas de juros e após reunião dos executivos do banco". Em seu comunicado, a CEF lembrou que essa é a segunda redução de juros feita pela instituição neste ano, quando o banco anunciou diminuição em 21 linhas de crédito. O banco detalhou ainda os tipos de redução que deve realizar em suas linhas. No consignado, a CEF reduziu a taxa de 2,5% ao mês, que passará para 2,39% ao mês. Se considerada a taxa praticada em dezembro de 2008 que era de 2,99%, a redução foi de 20%, segundo cálculos do banco. Em linhas de convênios a CEF informou ainda que, entre as mudanças, a redução da taxa máxima em algumas modalidades chegou a 19,73%, passando de 2,99% a 2,39%. Para outras, as taxas podem variar de 2,12 para 2,05% ao mês, o que representa diminuição de 3,30%, de acordo com cálculos do banco. Nas modalidades de crédito pessoal, o banco reduziu os juros de 4,98% para 4,85% ao mês, o que representa uma diminuição de mais 2,5% ao mês. No CDC, a redução foi de 4,44% para 4,39% ao mês, de acordo com o banco. Para a modalidade cheque especial (Pessoa Física), houve redução de quase 8%, de acordo com cálculos do banco. As taxas eram de 7,98% em dezembro e passarão para 7,35% ao mês a partir de 1º de fevereiro. De acordo com a CEF, a taxa praticada em janeiro era de 7,49%. Ainda segundo a instituição bancária, para financiamentos destinados a pessoa jurídica, as reduções beneficiarão médias e grandes empresas, com faturamento anual superior a R$ 7 milhões, segundo análise da CEF.  Santander  O Grupo Santander Brasil também informou que está reduzindo a taxa de diversas modalidades de empréstimos para clientes Pessoa Física do Banco Santander e do Banco Real. A taxa do crédito pessoal está sendo reduzida em 5%. A taxa máxima cai de 6,69% para 6,36% ao mês. No crédito consignado, a taxa mensal máxima cai de 3,60% para 3,50% ao mês e a taxa mínima de 1,99% para 1,89%, para contratos em até um ano.  O cheque especial também foi alterado: a taxa está sendo reduzida de 9,85% para 9,70% ao mês. No caso do Realmaster, a taxa também está sendo reduzida de 9,85% para 9,70% ao mês. Mais bancos Acompanhando a decisão do Copom,  vários bancos anunciaram na quarta-feira mesmo a redução das taxas de juros para diversas modalidades, incluindo pessoas físicas e jurídicas. Entre os bancos, estão o Bradesco, Itaú, Unibanco, Banco do Brasil e a Caixa Econômica.    O Bradesco anunciou a redução das taxas de juros para diversas modalidades de crédito, incluindo pessoas físicas, jurídicas e leasing de veículos. A medida passa a vigorar a partir de quinta-feira, 22.  O Unibanco também decidiu reduzir os juros e a queda começa a valer a partir da próxima segunda-feira, dia 26 de janeiro. Em nota, a instituição informou que a redução irá atingir a taxa máxima cobrada no Crédito Pessoal Parcelado (CPP), no cheque especial para pessoa física, no cheque especial de empresas e na linha de financiamento de Capital de Giro (Unigiro). A queda será de 0,08 ponto porcentual sobre as taxas mensais, o que corresponde ao repasse integral do corte de 1 ponto porcentual efetuado na Selic, que é anual. O Itaú anunciou a redução da taxa de juros para pessoa física e jurídica nas modalidades empréstimos pessoal parcelado e cheque especial, um repasse à queda de 1 ponto porcentual da taxa básica de juros, para 12,75% ao ano. A Caixa Econômica Federal também anunciou uma nova rodada de cortes nas suas taxas de juros cobradas em empréstimos às pessoas física e jurídica. O vice-presidente de Finanças da instituição, Márcio Percival, informou à Agência Estado que a queda será, em média, de 4% para três produtos destinados à pessoa jurídica e três voltados para a pessoa física. O Banco do Brasil decidiu também reduzir a taxa. As novas taxas passam a vigorar nas agências na sexta-feira, dia 23.Nos empréstimos para as famílias, a taxa mínima do cartão de crédito será reduzida de 3,79%ao mês para3,71%. No cheque especial, o juro máximo caiu de 7,99% para 7,91% ao mês. No crédito direto ao consumidor, o juro do crediário recuou de 3,19% para 2,62%.Nas operações para as empresas, a taxa máxima do BB Giro Rápido caiu de 2,50% para 2,40%. No cheque especial para empresas, a taxa cedeu de 7,89% para 7,81%.

Tudo o que sabemos sobre:
JurosCopomBancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.