Após corte de juros pelos BCs, bolsas asiáticas fecham em alta

Hong Kong ganha 2,23% e Cingapura, 1,69%; Japão e Xangai encerram em baixa de 0,50% e 0,84%

da Redação,

09 de outubro de 2008 | 03h37

A maioria das bolsas asiáticas reagiu no pregão desta quinta-feira, 9, após o Federal Reserve (Fed), o Banco Central Europeu (BCE) e outros oito bancos centrais reduzirem as taxas básicas de juros em meio ponto porcentual na quarta-feira, em uma ação coordenada pela primeira vez na história. Apenas Tóquio e Xangai fecharam no vermelho.   Veja também: Islândia nacionaliza maior banco do país Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Ajuda de BCs mostra que crise é mais grave, diz economista Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise Entenda o pacote anticrise que passou no Senado dos EUA  A cronologia da crise financeira  Veja como a crise econômica já afetou o Brasil  Entenda a crise nos EUA    O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio encerrou o pregão desta quinta-feira, 9, em baixa de 0,50%, após uma queda recorde na quarta-feira.   O índice da Bolsa de Tóquio despencou 9,38% na quarta-feira, a maior queda percentual em um único dia desde outubro de 1987. As perdas acumuladas nos últimos cinco dias já somam 19 por cento.   O indicador Topix ganhou 6,10 pontos (+0,68%), situando-se em 905,11 MP fechamento. O Banco do Japão (BOJ) injetou 4 trilhões de ienes (US$ 39,781 bilhões) para aliviar a situação dos mercados financeiros. Este é o 17º dia consecutivo em que o BOJ efetua uma provisão bilionária de emergência.   Já a Bolsa de Xangai fechou em baixa de -0,84%.   A Bolsa de Seul fechou em leve alta. O índice Kospi recuperou 8,20 pontos (0,64%) e terminou em 1.294,89 unidades. Já o indicado de valores tecnológicos Kosdaq caiu 1,63 pontos (0,44%) até se situar em 369,84 pontos.   Os setores de construção e siderurgia ganharam 5,36% e 1,08%, respectivamente. Samsung Electronics e a siderúrgica POSCO subiram 2,46% e 1,65%.   O dólar americano se depreciou 15,5 unidades frente a divisa sul-coreana, o won, e encerrou em 1.379,5 wones, pela primeira vez em cinco dias graças a intervenção do governo.   O Banco da Coréia do Sul (BOK) anunciou nesta quinta-feira um corte de 0,25 ponto percentual nas taxas de juros, que estão agora em 5%. O objetivo é prevenir uma desaceleração da economia por causa da crise financeira global. O corte de juros, que não estava previsto, é o primeiro do BOK desde novembro de 2004.   As Bolsas de Cingapura, Hong Kong e Taiwan fecharam em alta de 1,69%, 2,23% e 1,45%, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.