Após crise, cresce número de pedidos

Depois de encerrar 2007 com 476 pedidos em carteira por aviões comerciais, maior quantidade da série histórica disponível no site da Embraer com início em 2002, a fabricante viu queda expressiva do número em meio à crise da economia global, entre 2008 e 2009. No fim de junho, a Embraer tinha carteira de pedidos (backlog) com 232 aviões comerciais, equivalentes a menos de dois anos de entregas. Mas o quadro do backlog deve ser diferente agora.

Reuters, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2010 | 00h00

Ontem, a Embraer assinou carta de intenções para aquisição de 24 jatos Embraer 190 pela Republic Airlines, com valor de US$ 960 milhões. Na véspera, tinha anunciado pedido firme da Flybe por 35 unidades do modelo 175, por US$ 1,3 bilhão. A empresa britânica tem opções e direitos de compra para 105 aeronaves, que podem elevar o acordo a US$ 5 bilhões. "A decisão da Flybe de selecionar o Embraer 175 para complementar sua atual frota de 14 Embraer 195 é uma grande notícia", disse o presidente da Embraer, Frederico Curado.

Já a Air Lease, também na terça, assinou carta de intenções para encomenda firme de 10 a 15 unidades do E-190. O contrato definitivo incluirá opções de compra de mais cinco jatos, fazendo com que o valor da transação chegue a US$ 800 milhões. Na segunda, a Embraer tinha divulgado acordos para venda de sete jatos para Azul e Trip, por estimados US$ 290 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.