Após crise, projetos saem das gavetas

O grupo ArcelorMittal não é o primeiro a anunciar a retomada de investimentos que foram adiados no ápice da crise financeira mundial. A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) é outra empresa que já resolveu tirar da gaveta projetos que estavam adiados por tempo indeterminado.

, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2010 | 00h00

A siderúrgica anunciou há alguns meses, em cerimônia no Palácio da Liberdade, a retomada do projeto para construção de uma nova planta ao lado da sua mina Casa de Pedra, em Minas Gerais. A nova usina terá capacidade de produção de 4,5 milhões de toneladas por ano.

A Usiminas, uma das maiores fabricantes de aços planos do País, também já fala em retomar os planos para construir uma nova usina em Santana do Paraíso (MG). O projeto foi abortado no início do ano passado, depois que a crise atingiu em cheio os resultados da companhia. Uma equipe da Usiminas trabalha na conclusão do reestudo do projeto. A previsão, segundo o presidente da empresa, Wilson Brumer, é que o novo escopo da obra seja submetido à aprovação do conselho de administração em agosto. Para Brumer, a decisão de adiar o investimento foi acertada porque havia o risco de comprometimento da saúde financeira da companhia. / I.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.