Após dados da produção, Iedi revisa crescimento da indústria

Os números positivos da produção industrial em fevereiro, divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), fizeram com que o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) revisasse a projeção da atividade para 2006, de alta de 4% para 4,5%. Segundo o diretor-executivo da entidade, Julio Gomes de Almeida, o avanço de 1,2% no indicador em fevereiro, além do acúmulo de 3% de alta nos últimos 12 meses, mostram que a redução da taxa básica de juros (Selic), atualmente em 16,5% ao ano, retomada em setembro do ano passado, começa a ter impacto positivo sobre a economia. Oscilação e surpresa Porém, para Almeida, o crescimento não chegou a surpreender, já que os números oscilaram de forma acentuada nos últimos meses, com alta de 2,3% em dezembro do ano passado e queda de 1,3% em janeiro. "Essa oscilação é típica de um setor que começa a crescer, mas ainda não conquistou substância. É natural", explicou, completando que a produção "vai ganhar substância agora no segundo semestre do ano." O diretor do Iedi lembrou que a alta de 1,5% na produção de bens de capitais em fevereiro ante janeiro é um sinal de investimento, mas ressaltou, mantendo a questão da oscilação no foco, que o mesmo indicador havia recuado 3,6% em janeiro contra dezembro de 2005.

Agencia Estado,

04 Abril 2006 | 11h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.