GABRIELA BILO / ESTADAO
Experiência é uma troca de conhecimento GABRIELA BILO / ESTADAO

APÓS DEMISSÃO, APRENDIZ AOS 69 ANOS

Com 40 anos de carreira, Guilherme Lobarinhas conseguiu voltar ao mercado como estagiário

O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2016 | 05h00

Enquanto a filha assistia ao filme Um senhor estagiário, protagonizado pelo já setentão Robert De Niro, uma ideia veio à mente do sócio-diretor da agência de publicidade DMV Comunicação, Sérgio Molina: ele precisava contratar alguém assim, um estagiário mais “maduro”. No anúncio da vaga, Molina pedia que os candidatos, com mais de 60 anos, não enviassem currículos, mas que contassem suas histórias. Poucos dias depois, quase mil candidaturas se acumulavam em seu e-mail.

Após duas rodadas de entrevistas com cerca de 40 selecionados, Guilherme Lobarinhas, de 69 anos, foi o escolhido. Formado em Administração e com mais de 40 anos de trabalho como diretor comercial, Lobarinhas ficou desempregado pela primeira vez em toda sua vida profissional em 2014. Enviou mais de 600 currículos, mas não obteve nenhuma resposta. Neste ano, um amigo viu o anúncio da vaga na DMV e o indicou. “Ele achou que era a minha cara, porque não consigo ficar parado”, conta Lobarinhas.

Hoje, sete meses depois de se tornar estagiário da agência, foi efetivado como diretor da área digital da DMV. “O que mais me chama atenção é sua vontade de aprender. Além disso, as coisas que antes tomavam mais tempo, agora ficam prontas mais rapidamente”, observa Molina.

Para Lobarinhas, chamado carinhosamente de Gui pelos jovens colegas de trabalho, a experiência, além de positiva, é uma troca de conhecimento. “Por causa da minha experiência profissional, tenho uma visão muito crítica, dou palpite sobre tudo. E trabalhar com gente mais nova abre a mente e faz renovar. Agora, também entendo como funciona uma agência e tenho aprendido a mexer em tudo de informática.”

Para 2017, o plano do ex-estagiário é começar o curso de Publicidade. “Estou navegando em mares desconhecidos, mas estou adorando.” Enquanto isso, nas redes sociais, usa seu perfil para promover o assunto que adotou como bandeira pessoal: mostrar que o trabalho após os 60 anos é uma boa opção para as empresas e os profissionais.

Com o sucesso da experiência de seleção, o dono da agência engrossa o coro. “É gratificante ver que os candidatos voltaram a se sentir úteis.”

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.