Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Após dia de oscilação, Bolsa cai 0,12%

No mês, a bolsa acumula ganhos de 9,16% e, no ano, perdas de 37,47%

Claudia Violante, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2008 | 18h56

Atentos ao comportamento das bolsas norte-americanas, os investidores no Brasil tiveram um dia de forte oscilação. No final do dia, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) caiu 0,12% e fechou aos 39.947,43 pontos. Atingiu a mínima de 39.121 pontos (-2,18%) e a máxima de 40.361 pontos (+0,92%). No mês, a bolsa acumula ganhos de 9,16% e, no ano, perdas de 37,47%. O giro financeiro totalizou R$ 7,416 bilhões, engordado pelo exercício de opções (operação de mercado futuro. Os dados são preliminares. Às 18h19, o Dow Jones caía 0,22%, o S&P, 0,06%, e o Nasdaq subiu 0,03%, também depois de muita oscilação. Os investidores, nos Estados Unidos, revisaram a euforia pós-corte de juro pelo Federal Reserve e mudança na política monetária, ontem. Hoje, a interpretação corrente era a de que a autoridade monetária foi agressiva nas medidas justamente porque a situação é grave.  A releitura, entretanto, não resultou em perdas elevadas, apesar das notícias negativas desta quarta-feira - balanço ruim do Morgan Stanley e demissões na fabricante de bens de consumo Newell Rubbermaid e na companhia de armazenagem de dados digitais Western Digital.  Na avaliação do gestor-gerente de renda variável da Infinity Asset, George Sanders, os investidores estão, agora, na expectativa de outras medidas nos Estados Unidos, por exemplo, para as montadoras e mutuários. "E, com isso, eles acabam segurando papéis", comentou.  Hoje, as ações da Petrobras e da Vale fecharam em alta: Petrobras ON, +2,74%, PN, +2,31%, Vale ON, +1,34%, Vale PNA, +1,77%, influenciadas pelo vencimento do índice futuro. A Vale informou hoje que vai conceder férias coletivas para 563 funcionários da empresa em dois portos. A Petrobras ignorou a queda do petróleo. Nem mesmo o corte na produção anunciado pela Opep, de 2,2 milhões de barris por dia a partir de janeiro, conseguiu puxar para cima o preço do petróleo. Na bolsa eletrônica de Nova York, o contrato para janeiro perdeu 8,12% e fechou a US$ 40,06, depois que o Departamento de Energia dos Estados Unidos anunciou aumento dos estoques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.