Após dois trimestres no vermelho, Bovespa inverte e sobe 5,46%

Desempenho de abril a junho foi o melhor desde o 3º trimestre de 2014; com isso, a Bolsa fechou o 1º semestre com valorização de 3,23%

Fabrício de Castro, Agência Estado

30 de junho de 2014 | 17h11

Numa sessão marcada pela volatilidade das blue chips Petrobrás e Vale, a Bovespa operou na maior parte do dia no território negativo. O índice à vista chegou a oscilar abaixo dos 53 mil pontos, mas a virada dos papéis da petrolífera e da mineradora para o positivo segurou as perdas à tarde. No fim, o Ibovespa terminou em leve alta de 0,02%, aos 53.168,22 pontos. O giro financeiro totalizou R$ 5,355 bilhões.

O resultado de junho foi positivo (+3,77%) e o desempenho de abril a junho (+5,46%) conseguiu anular dois trimestres seguidos de perdas, sendo o melhor resultado desde os +10,29% auferidos de julho a setembro de 2014. No semestre, o Ibovespa acumulou alta de 3,23%. No primeiro semestre do ano passado, a Bolsa havia tido perdas de 22,14%.

O giro financeiro, no entanto, foi contido hoje, apesar de este ser o último dia útil do trimestre. O feriado do dia da Independência dos EUA, na sexta-feira, o pregão mais curto no Brasil no mesmo dia, por causa do jogo da seleção na Copa do Mundo, e as férias no Hemisfério Norte foram citados como motivos para o giro baixo. 

Pela manhã, o mau humor entre os investidores foi maior, após mais um dado ruim ter sido divulgado pelo Banco Central. O resultado consolidado do setor público em maio mostrou um déficit bem pior do que a mediana prevista e quase no piso das projeções, em R$ 11,046 bilhões (piso de R$ -11,7 bilhões), o segundo pior resultado da história. Na sexta-feira, o resultado do Governo Central já havia azedado o humor ao mostrar um déficit recorde para meses de maio (-R$ 10,502 bilhões). 

Petrobrás chegou a abrir em alta, depois que a presidente da estatal, Graça Foster, negou uma capitalização da empresa. A estatal passou o fim de semana explicando aos analistas o acordo fechado com o governo em troca de direitos para até 15 bilhões de barris de petróleo e pelo qual terá que pagar uma parcela de R$ 2 bilhões ainda este ano. Graça também informou que se não tiver folga para pagar os R$ 2 bilhões, solicitará aumento do orçamento ao conselho. Ela garantiu que não é refém do aumento da gasolina para pagar esse bônus. Após uma sessão de grande volatilidade, Petrobrás ON teve alta consistente de 1,18% e Petrobrás PN avançou 0,52%. No caso da Vale, o papel ON subiu 0,62% e o PNA teve ganho de 0,53%. 

Em Nova York, o dia foi marcado por ajustes de carteiras, em função do fim do semestre. A falta de indicadores mais relevantes fez os principais índices encerrarem sem uma direção única: o Dow Jones caiu 0,15%, o S&P 500 cedeu 0,04% e o Nasdaq teve alta de 0,23%.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.