Após Fed, Bovespa acompanha piora externa e fecha em queda

O Ibovespa caiu 1,43%, para 64.512 pontos. Antes da decisão sobre juro americano, bolsa subia 1,5%

Reuters,

11 de dezembro de 2007 | 19h12

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) terminou a terça-feira no vermelho, após a decisão do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, frustrar as expectativas de parte do mercado. O Ibovespa caiu 1,43%, para 64.512 pontos. Antes de o Fed anunciar um corte de 0,25 ponto percentual do juro básico e da taxa de redesconto, o principal indicador da bolsa paulista apresentava alta de 1,5%.   Veja também:  Juro americano cai para 4,25% ao ano e frustra mercado  Comportamento dos juros americanos  Íntegra do comunicado do Fed  Os efeitos da crise no setor imobiliário A reação negativa à decisão do Fed foi imediata em Wall Street e em diversas outras bolsas de valores do mundo. "Uma parte do mercado acreditava num corte de 0,50 do juro básico e a grande maioria contava com 0,25 ponto de corte no juro básico e de 0,50 na taxa de redesconto, mas o Fed cortou 0,25 ponto nos dois. Esse é o principal motivo para a reação do mercado", afirmou o economista-chefe da Fator Corretora, Vladimir Caramaschi. O diretor da Ágora Corretora, Álvaro Bandeira, mencionou que o corte de 0,25 ponto percentual já estava "bem precificado no mercado". "O que poderia vir de surpresa seria algo na taxa de redesconto ou algum comunicado indicando uma tendência futura de possíveis medidas do Fed", acrescentou. Nos Estados Unidos, os principais índices acionários registravam queda em torno de 2% a menos de meia hora do fechamento. O volume financeiro na bolsa foi de R$ 6,84 bilhões. Destaques Entre as ações do Ibovespa, a queda mais expressiva foi de Lojas Renner, cujas ações despencaram 9,09%, para R$ 40,50. Pela manhã, a empresa anunciou uma revisão de expectativas em relação ao quarto trimestre, com reflexos para o ano. "O cenário atual vem influenciando o comportamento dos consumidores de vestuário, que acreditamos que estão direcionando maior percentual de sua renda para o pagamento de financiamentos de bens duráveis e imóveis... ainda esperamos uma reversão do cenário atual nos dias que antecedem o Natal", afirmou a companhia. O comentário das Lojas Renner teve efeito também sobre as ações das Lojas Americanas, que caíram 5,03%, para R$ 17,55 reais. A maior alta do dia ficou por conta do Pão de Açúcar, que avançou 2,38%, para R$ 34,0 reais. Na segunda-feira, a empresa anunciou a saída do então diretor-presidente Cássio Casseb. Em relatório a investidores, a corretora Próspera afirmou que vê "a mudança como uma possibilidade para que o Pão de Açúcar consiga finalmente ter sucesso na reestruturação pela qual vem passando".

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaMercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.