Após feriado, bolsas européias sobem, ajustando-se a NY

Mercados repercutem ganhos registrados nos Estados Unidos na segunda-feira, puxados por dados positivos

Daniela Milanese, da Agência Estado,

25 de março de 2008 | 10h17

A terça-feira é dia das bolsas da Europa aproveitarem a brecha para valorizações aberta na segunda por Nova York. Como estavam fechadas em razão do feriado de Páscoa, nesta terça, 25, as principais praças exibem ganhos consistentes, repercutindo a nova oferta do JPMorgan pelo Bear Stearns e o crescimento da venda de imóveis usados em fevereiro. Veja também:EUA já gastaram US$ 1 trilhão para combater crise de créditoCronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos   O sobe e desce do dólar Veja os efeitos da desvalorização do dólar O dólar consegue sustentar alta, enquanto o petróleo cede um pouco, emitindo sinais de algum alívio.Mas como esta crise não vai sair do calcanhar dos investidores tão cedo, os futuros de Nova York estão no negativo, à espera de novos dados sobre a economia norte-americana.  O tom dos relatórios para a agenda desta terça não é animador. Os destaques do calendário são a confiança do consumidor do Conference Board de março e a atividade industrial regional do Fed de Richmond, ambos às 11 horas (de Brasília), além do índice de preços de residências Case Shiller de janeiro, às 10 horas. "Os efeitos da queda dos preços das residências, o mergulho das ações, as preocupações com o emprego e a crise de crédito são sentidos de forma cada vez mais intensa, adicionando risco de retração do sentimento e dos gastos (dos consumidores)", afirma o economista James Knightley, em relatório do ING.  Para ele, o indicador de preço de imóveis a ser anunciado nesta terça deve mostrar piora, o que servirá de combustível para novas preocupações sobre baixas contábeis nos ativos relacionados ao subprime. "Acreditamos que o trabalho do Fed ainda não terminou e novas reduções de juros são prováveis, apesar das preocupações sobre inflação." Mas, como as bolsas européias têm recuperação a cumprir nesta terça, as altas prevalecem. Às 10h, a Bolsa de Paris subia 3,11%, acompanhada por Londres (3,24%) e Frankfurt (2,99%).

Tudo o que sabemos sobre:
Mercado financeiroCrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.