Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Após ficar no vermelho, saldo da poupança volta a ser positivo em maio

No último mês, depósitos na caderneta superaram resgates em R$ 2,270 bilhões; em abril, resultado foi negativo em R$ 1,273 bilhão

Victor Martins, Agência Estado  - Atualizado às 19h20

05 de junho de 2014 | 17h02

BRASÍLIA - A caderneta de poupança registrou em maio captação líquida positiva, depois de no mês anterior ter contabilizado saldo negativo de R$ 1,273 bilhão. Os depósitos feitos no mês passado superaram os resgates em R$ 2,270 bilhões. Os depósitos no mês passado somaram R$ 131 bilhões, enquanto os saques totalizaram R$ 128,7 bilhões. 

Com o resultado do mês passado, que inclui ainda R$ 3,070 bilhões de rendimentos creditados, o saldo total da poupança chegou a R$ 620,326 bilhões, ante R$ 614,985 bilhões em abril.

De todo modo, mesmo que positivo, o resultado de maio de 2014 foi bem modesto, se comparado ao de anos anteriores. Em 2013, por exemplo, a captação foi positiva em R$ 5,625 bilhões, número 148% superior.  A captação da caderneta de poupança no ano passado foi recorde: R$ 71 bilhões. No ano passado, a aplicação ganhou de muitos fundos de renda fixa, mesmo com o ciclo de alta dos juros básicos (a taxa Selic).

O contraste pode ser explicado pela mudança geral de cenário neste ano. Com a volta da Selic aos dois dígitos e a perspectiva de inflação próxima ao teto da meta do governo, de 6,5% ao ano, a aplicação preferida dos brasileiros já não seduz como antes. Os fundos DI com taxa de administração de até 1%, por exemplo, já superam os rendimentos da caderneta.

Desde 2012, sempre que a taxa Selic está em 8,5% ao ano ou abaixo desse nível, a caderneta rende 70% do juro básico mais a variação da Taxa Referencial (TR). Além disso - caso atual -, a poupança traz 0,5% de rentabilidade ao mês ou 6,38% ao ano, fora a TR.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.