Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Após forte alta em agosto, Bolsa acumula perda de 1% na semana

Para gestores, desempenho do Ibovespa dependerá do resultado das novas pesquisas eleitorais; dólar fecha semana praticamente estável, cotado a R$ 2,243

Reuters

05 de setembro de 2014 | 17h45

O principal índice da Bovespa fechou a sexta-feira em leve baixa no fim de uma sessão volátil, com peso das ações da mineradora Vale, enquanto Petrobrás alternou alta e baixa antes do fim de semana, em meio à expectativa de novos desdobramentos no panorama eleitoral.O Ibovespa caiu 0,19%, a 60.681 pontos, após oscilar da mínima de 60.243 pontos à máxima de 61.029 pontos. O giro financeiro da sessão somou R$ 9 bilhões.

No acumulado da semana, o índice perdeu 1%, após subir quase 10% no mês passado, no melhor agosto em 11 anos

Segundo operador de renda variável de uma corretora em São Paulo, que preferiu não ser identificado, a sexta-feira foi um dia de ressaca, com muitos agentes zerando ou reduzindo posições para o fim de semana. Há previsão de divulgação de pesquisa Sensus no sábado e levantamentos dos institutos Datafolha (nacional) e Ibope (Rio de Janeiro e São Paulo) a partir de 9 de setembro.

Nesta semana, pesquisas eleitorais mostraram empate técnico entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) na disputa de primeiro turno e leve recuperação da presidente no segundo turno, embora com Marina liderando as intenções de voto.

Para o gestor na Effectus Investimentos Joaquim Kokudai, caso os próximos levantamentos mostrem Marina retomando fôlego, o mercado deve também voltar à tendência anterior, de alta. "Marina segue favorita, mas (as pesquisas mostraram) que Dilma ainda tem chance."

Para estrategistas do HSBC, novas altas na Bolsa dependerão de um cenário que inclui mudanças profundas na condução da política macroeconômica, incluindo o anúncio de reformas. Segundo eles, a relação entre risco e retorno segue equilibrada para as ações e não é momento de vender.

Os papéis da Petrobrás, que recuaram nos dois últimos pregões, encerraram em leve alta. Ações de outras estatais como Banco do Brasil e Eletrobras fecharam no vermelho após subir na abertura.

Vale, por sua vez, exerceu pressão negativa, ainda afetada pela trajetória declinante dos preços do minério de ferro na China.. Também o setor de siderúrgia recuou, com Usiminas liderando as perdas.

Oi ocupou a ponta de alta do Ibovespa, com o mercado atento à assembleia na segunda-feira de acionistas da Portugal Telecom, que está em processo de fusão com a operadora brasileira, e por expectativas relacionadas à oferta da Oi pela TIM Participações.

Fora do Ibovespa, a empresa de energia Eneva subiu 6%, após a Aneel concordar em fazer acordo de fornecimento de energia da térmica Paranaíba II. Wall Street também esteve no radar, com dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos em agosto.

Câmbio. Depois de ficar volátil pela manhã, o dólar ante o real se aproximou da estabilidade no período da tarde e terminou o pregão com leve baixa, em meio à agenda relativamente cheia, com IPCA de agosto e relatório do mercado de trabalho norte-americano. 

Neste cenário, o dólar à vista no mercado de balcão encerrou o pregão desta sexta-feira com desvalorização de 0,04%, cotado a R$ 2,2430. Na semana, a moeda dos EUA teve pequena alta de 0,04%. 

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.