Após fraude, Moody's reduz nota do Société Générale

A agência de classificação de risco de crédito Moody''s decidiu rebaixar a nota de crédito (rating) de solidez financeira do banco francês Société Générale (SocGen) de "B" para "B-" e das dívidas de longo prazo e depósitos de "Aa1" para "Aa2". A perspectiva para o rating de solidez é negativa, enquanto a das dívidas de longo prazo e depósitos é estável.O rebaixamento segue o anúncio do banco ontem de que uma fraude de um de seus operadores, Jerome Kerviel, em contratos de índices futuros resultará em uma perda 4,9 bilhões de euros (R$ 12,9 bilhões) ao grupo. Ao mesmo tempo, o banco francês também informou uma baixa contábil adicional de 2,05 bilhões de euros de ativos ligados às hipotecas de alto risco (subprime) nos Estados Unidos - o que deve representar uma queda de mais de 80% em seu lucro líquido em 2007.TransparênciaO operador tinha mais de 50 bilhões de euros em posições no mercado, segundo Raymond Soubie, conselheiro do presidente da França, Nicolas Sarkozy. O assessor usou o caso para pedir "maior transparência" e controle na movimentação de capitais."Questões sobre os controles internos do sistema bancário terão de ser respondidas. É muito espantoso que apenas uma pessoa tenha construído uma posição de mais de 50 bilhões de euros sem ser apanhada", afirmou Soubie à TV francesa. Os comentários de Soubie significam que Jerome Kerviel operava com mais que o atual mercado de capitalização do banco, que é de 35,9 bilhões de euros. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.