JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Após importar energia, Brasil devolve 200 MW para Argentina

A exportação ocorreu a pedido da Cammesa, operadora do setor elétrico no país vizinho

André Borges e Anne Warth , O Estado de S. Paulo

27 de janeiro de 2015 | 15h43

O Brasil devolveu 200 megawatts de energia para a Argentina na segunda-feira, 27. A exportação ocorreu a pedido da Cammesa, operadora do setor elétrico no país vizinho. Entre as 15:05 e 17:14, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) chegou a enviar 205 megawatts (MW) para a Argentina no horário de pico.  

A transmissão ocorreu por meio da rede de Garabi, instalada na fronteira entre os dois países, no município de Garruchos (RS). A última vez que o Brasil enviou energia para a Argentina ocorreu no dia 27 de setembro do ano passado. Naquela ocasião, a exportação de "energia emergencial" foi feita por meio da conversora de frequência Uruguaiana, com devolução da energia mesmo dia. 


Dessa vez, em termos de consumo médio, a entrega de energia brasileira para os argentinos ficou em 17MW médios. É pouco, se comparado ao que o Brasil tem demandado da Argentina. 

Na terça-feira passada, um dia após sofrer o apagão que deixou sem luz 10 Estados e o Distrito Federal, o Brasil pediu entre 500 MW e 1.000 MW diários. A mesma quantidade de energia foi requisitada no dia seguinte. As compras de 2 mil MWh foram realizadas na modalidade "emergencial", ou seja, para suprir a demanda que não conseguiu ser atendida pela geração nacional. A última vez em que houve compra de energia do exterior foi em dezembro de 2010. 

Os dados do ONS apontam que o Brasil deve hoje 9 MWh aos argentinos, considerado-se apenas a carga importada via Garabi.

Tudo o que sabemos sobre:
energiaapagãoargentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.