finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Após menos de dois anos, Crocs fecha fábrica no Brasil

Desativação de unidade foi decisão da matriz nos EUA

O Estadao de S.Paulo

15 de novembro de 2008 | 00h00

A calçados Crocs, que se tornou um fenômeno mundial de vendas, anunciou o fechamento de sua única fábrica no Brasil, em Sorocaba, no interior paulista. Em comunicado, a empresa informou que o fechamento foi determinado pela matriz do grupo nos Estados Unidos e tem como objetivo ajustar a estrutura de custos global da companhia. Funcionários informaram que o grupo foi atingido pela crise americana.A Crocs informou que o fechamento da unidade, localizada no Distrito Industrial de Sorocaba, vai se efetivar ao longo do mês de dezembro. Dos 80 funcionários, 55 serão dispensados e o restante será absorvido pela área comercial da empresa, que continuará vendendo seus produtos no Brasil. O escritório e a estrutura de distribuição, que ficam na capital paulista, serão mantidos.Ontem, diretores do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Têxteis de Sorocaba reuniram-se com advogados da empresa para iniciar o processo de dispensa. Os funcionários começaram a receber o aviso prévio. De acordo com Antonio Rossini, que atende o setor de comunicação da empresa, a desativação da fábrica não está, porém, relacionada com a crise americana. "A unidade de Sorocaba não estava apresentando a rentabilidade esperada", disse. Instalada há menos de dois anos, com a proposta de produzir dois milhões de pares de calçados por ano, a fábrica não atingiu esse patamar, segundo ele. Além disso, trabalhava com apenas dois modelos, entre eles o Beach, considerado o carro-chefe da empresa. "O mercado cresceu e a fábrica não acompanhou", disse Rossini. "A Crocs lança uma nova linha a cada dois meses." Por esse motivo, entre investir na reestruturação da indústria e desativar a produção, a direção americana do grupo fez a segunda opção. Como o prédio é próprio, provavelmente o imóvel será vendido após a desativação. O mercado brasileiro será abastecido pelas fábricas do México, China e Estados Unidos. A unidade mexicana passa a ser a única do grupo na América Latina. No mundo, a Crocs vende cerca de 20 milhões de pares por ano.Os calçados Crocs nasceram na canadense Foam Creations, dona da patente de uma resina não-plástica, a Croslite, leve e antiderrapante. Os velejadores Lyndon Hanson, Scott Seamans e George Bopedecker gostaram do calçado e passaram a fabricá-los, sob licença, no Estado do Colorado, nos Estados Unidos. Em dois anos, batizaram-no de Croc - o formato do calçado lembra o de um crocodilo - e compraram a Foam Creations. A marca está avaliada em US$ 1 bilhão e fabrica 30 modelos, vendidos no mundo todo. O preço médio do Beach é de US$ 30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.