Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Após oposição do governo, AT&T desiste da T-Mobile

Empresa pagará uma multa de US$ 4 bilhões à Deutsche Telekom, dona da T-Mobile, em dinheiro e espectro

LOS ANGELES, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2011 | 03h05

A AT&T anunciou ontem ter desistido de comprar a T-Mobile USA, por US$ 39 bilhões, depois de enfrentar obstáculos regulatórios. Em comunicado, a empresa informou que fechará um acordo de roaming com a Deustche Telekom, controladora da T-Mobile.

O plano de fusão havia sido anunciada inicialmente em março, e recebeu oposição do Departamento de Justiça dos Estados Unidos e da Federal Communications Commission (FCC), agência reguladora das comunicações do país.

No mês passado, a AT&T informou que teria uma despesa de US$ 4 bilhões no caso de a aquisição não ir em frente, incluindo US$ 1 bilhão em espectro que terá de ceder à T-Mobile USA. A despesa faz parte do acordo de quebra de acordo, que dará à Deutsche Telekom US$ 3 bilhões em dinheiro, um acordo de roaming e um pacote de licenças móveis nos Estados Unidos, que será incorporado à T-Mobile.

A Deutsche Telekom informou que voltará a incluir os números da T-Mobile USA a seus relatórios de resultado.

Mercado. As autoridades regulatórias temiam o impacto da fusão na competição do mercado de telefonia móvel americano. Em comunicado, a AT&T afirmou que as ações do governo para bloquear o acordo não mudam os desafios da indústria de telefonia móvel, que precisa de mais frequências de espectro para se expandir.

A AT&T solicitou que o governo aprove rapidamente a compra de espectro sem uso que pertencia à Qualcomm e que aprove leis para suprir as necessidade de longo prazo do país. Segunda maior operadora móvel dos EUA, a AT&T passaria a ocupar o primeiro lugar se tivesse conseguido comprar a T-Mobile, a quarta maior.

O Departamento de Justiça ordenou bloquear a fusão em 31 de agosto, argumentando que a compra reduziria a competição e elevaria preços. No mês passado, as empresas retiraram o pedido de fusão da FCC, logo depois de o presidente da agência se manifestar contrariamente a ela.

Analistas disseram que será difícil para a Deutsche Telekom encontrar outro comprador disposto a desembolsar o que a AT&T havia concordado em pagar.

Antes de anunciadas as negociações com a AT&T, a empresa estava em conversas com a Sprint Nextel, a terceira maior do mercado. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.