Após perder sócio, Vulcabrás troca comando

Em meio a uma grave crise, a Vulcabrás anunciou ontem a troca no comando da companhia, o fim das negociações com o fundo de investimentos Pátria e a contratação de Claudio Galeazzi para reestruturar a empresa.

RAQUEL LANDIM, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h05

Milton Cardoso está deixando o cargo de diretor-presidente após 15 anos. Em seu lugar, assume Pedro Grendene, dono da Vulcabrás, que presidia o conselho de administração.

No comunicado enviado a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa, que comercializa as marcas Olympikus e Azaleia, informa que Cardoso renunciou ao cargo "por motivos pessoais".

A Vulcabrás amargou prejuízo de R$ 316 milhões no ano passado, demitiu 10 mil funcionários e fechou seis fábricas na Bahia e a linha de produção de Parobé, no Rio Grande do Sul. No primeiro trimestre deste ano, registrou perda de R$ 37,9 milhões.

Recentemente, a companhia sofreu dois reveses importantes. A Vulcabrás tinha firmado um memorando de intenções com o Pátria para vender uma participação na empresa e reduzir seu endividamento, mas as negociações não prosperaram.

Conforme o Estado antecipou, o Pátria, que cogitou comprar 40% da empresa por R$ 500 milhões, já vinha reavaliando seu interesse por causa do recrudescimento da crise global.

A Vulcabrás também foi a principal derrotada no processo que o setor calçadista movia contra os importadores, que eram acusados de trazer tênis chinês como se tivesse sido feito na Indonésia e no Vietnã, para burlar a tarifa antidumping aplicada contra a China.

O Departamento de Defesa Comercial (Decom) autorizou as multinacionais Nike, Adidas e Puma a importar desses destinos sem pagar tarifa, depois de visitar as fábricas e concluir que a produção era feita no local.

Além disso, o governo brasileiro também livrou a São Paulo Alpargatas da acusação de que estaria trazendo partes e peças da China e montando os tênis no País para fugir da sobretaxa.

Galeazzi. Sem a opção de vender uma fatia da empresa, a Vulcabrás informou ontem que contratou a consultoria de Claudio Galeazzi, responsável pela reestruturação do Pão de Açúcar. Ele hoje é sócio do BTG Pactual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.