Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Após publicação do balanço auditado, Moody's reafirma nota da Petrobrás

Segundo a agência de classificação de risco, os ratings da estatal em Ba2 têm perspectiva estável, o que reflete a expectativa de que as condições financeiras e operacionais da empresa não devem mudar muito no curto e médio prazo

Marcelo Osakabe, Gabriel Costa, O Estado de S. Paulo

27 de abril de 2015 | 22h31

A agência de classificação de risco Moody's reafirmou todos os ratings da Petrobrás, inclusive o rating senior não garantido em Ba2. O perfil de risco de crédito individual (BCA) foi mantido em b2. A perspectiva é estável.

Segundo a Moody's, a ação de rating conclui a revisão para rebaixamento e reflete a publicação do balanço auditado, na semana passada. "A revisão se focou sobre as pressões de liquidez, que poderiam ter se elevado caso a empresa tivesse falhado em entregar o balanço anual auditado", disse em nota a agência.

A agência também reafirmou o rating da Petrobrás Argentina S.A, mas manteve sua perspectiva em negativa.


"Os ratings da Petrobrás tem perspectiva estável, o que reflete a expectativa da Moody's de que as condições financeiras e operacionais da empresa não devem mudar muito no curto e médio prazo", disse a agência. "A Moody's estima que a performance financeira irá declinar em 2015 antes de começar a melhorar, conforme a recuperação dos preços de petróleo, mudanças no gerenciamento das operações e venda de ativos começarem a afetar as métricas de crédito.

A Moody's afirmou ainda que o rating atual da Petrobrás reflete os desafios da empresa relacionados às investigações de corrupção em andamento. Segundo a agência, novos fatos negativos importantes em relação às investigações podem levar a um corte no rating da empresa, bem como a "reaparição de pressões significativas de liquidez".

A agência afirmou ainda que o rating da Petrobrás pode ser sensível a uma eventual mudança no rating do Brasil. Outro aspecto destacado pela agência é que o rating também pode mudar em função da avaliação da Moody's sobre a força do apoio dado pelo governo brasileiro à empresa.

Com a ação, a Moody's se torna a terceira agência de rating a se posicionar após a divulgação do balanço auditado da Petrobrás, que aconteceu na semana passada. A Fitch reafirmou o rating da empresa em BBB-, e revisou a perspectiva para negativa. Já a S&P afirmou que sua avaliação da Petrobrás (BBB-, perspectiva negativa) não foi afetada no curto prazo pela publicação do balanço.

Mais conteúdo sobre:
petrobrásmoody's

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.