Após recorde, petróleo registra queda com realização de lucros

Commodity deve registrar novos recordes, segundo analistas; nesta quarta, barril atingiu a máxima de US$ 115,54

Agência Estado,

17 de abril de 2008 | 11h38

Os contratos futuros de petróleo sucumbiram à realização de lucros e reverteram os ganhos registrados mais cedo, quando a commodity renovou máximas históricas. Segundo analistas, o petróleo ainda deve manter a marcha rumo a novos recordes nesta semana, com ajuda da divulgação, na quarta-feira, dos dados semanais de estoques nos EUA que mostraram recuo nos estoques semanais de petróleo nos EUA e queda na utilização das refinarias. A queda do dólar frente a outras moedas também impulsiona a alta da commodity.   Veja também: Petróleo renova recorde com dólar fraco e problemas na oferta Petróleo bate recordes em Londres e Nova York País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundo Para especialista, ANP se antecipou ao falar sobre reserva Reservas colocam País entre 5 maiores produtores de petróleo O sobe e desce do dólar  Veja os efeitos da desvalorização do dólar   Às 9h24 (de Brasília), o petróleo WTI para maio caía 0,33%, para US$ 114,55 por barril, após atingir máxima de US$ 115,54. Em Londres, o Brent para junho recuava 0,30%, para US$ 112,32 por barril, com máxima em US$ 113,38 por barril. As informações são da Dow Jones.   O preço do barril da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) também alcançou um novo recorde histórico ao ser negociado na quarta-feira a US$ 106,65, informou nesta quinta-feira, 17, em Viena o secretário do grupo petroleiro. A cesta Opep, que contém 13 tipos de petróleo, um para cada país membro da organização, subiu na quarta-feira US$ 0,92 (0,9%). As altas do preço da cesta Opep acontecem de forma paralela aos máximos históricos registrados pelos crus de referência nos EUA e Europa, o WTI e o Brent, respectivamente.   Segundo analistas, três dias seguidos de recorde nos preços continuam atraindo os investidores para o mercado de petróleo, mas o vencimento das opções sobre o contrato de maio na Nymex pode influenciar a movimentação do mercado, elevando o potencial de volatilidade nos negócios mais tarde.   (com Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.