Celio Messias|Estadão
Celio Messias|Estadão

Após seis altas consecutivas, confiança do consumidor volta a cair

Confiança do consumidor caiu 3,3 pontos em novembro ante outubro; resultado geral do indicador foi determinado pela piora das expectativas, segundo a FGV

Daniela Amorim, Broadcast

24 Novembro 2016 | 10h13

RIO - A confiança do consumidor caiu 3,3 pontos em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o resultado, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) ficou em 79,1 pontos, após seis altas consecutivas.

"O resultado de novembro resulta da calibragem de expectativas. Na falta de notícias positivas no front econômico e dada a contínua deterioração do mercado de trabalho, uma parcela dos consumidores brasileiros reduziu o otimismo em relação à perspectiva de melhora no horizonte de seis meses", avaliou Viviane Seda Bittencourt, coordenadora da Sondagem do Consumidor, em nota oficial.

Em novembro, houve diminuição da satisfação dos consumidores em relação à situação presente, mas o resultado geral do indicador foi determinado, sobretudo, pela piora das expectativas.

O Índice da Situação Atual (ISA) recuou 1,1 ponto, na passagem de outubro para novembro, para 67,9 pontos, o menor patamar desde julho, quando estava em 65,7 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE) caiu 4,9 pontos, para 87,7 pontos, movimento que interrompe uma sequência de seis altas seguidas.

A satisfação do consumidor em relação à situação financeira da família recuou 1,2 ponto na passagem de outubro para novembro, para 62,4 pontos.

Mas o item que mais contribuiu para a queda de 3,3 pontos na confiança do consumidor em novembro é o que mede o otimismo em relação à situação econômica geral no futuro. O subindicador chegou a acumular um avanço de 30,9 pontos entre junho e setembro, mas contabiliza uma perda de 6,2 pontos nos últimos dois meses, tendo recuado para 108,1 pontos em novembro.

Na separação dos resultados por faixas de renda, a redução da confiança foi generalizada. O recuo mais expressivo ocorreu entre os consumidores com renda familiar mensal entre R$2.100,00 e R$ 4.800,00.

A próxima divulgação da Sondagem do Consumidor está prevista para o dia 23 de dezembro. O levantamento coletou informações de 1.968 domicílios, com entrevistas entre os dias 1 e 21de novembro.

Mais conteúdo sobre:
Fundação Getúlio Vargas FGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.