Waldemir Filetti
Waldemir Filetti

bolha

Paulo Bilyk: "Quem está comprado em 4 ou 5 ações corre risco grande de perder tudo"

Após ser criticado, governo recua de decisão de excluir 17 ocupações do MEI

Lista incluía professores particulares independentes, astrólogos e esteticistas, além de três subclasses, voltadas ao desenvolvimento e licenciamento de programas de computador

Patrik Camporez, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2019 | 16h25

BRASÍLIA - Após críticas ao governo, o presidente Jair Bolsonaro determinou à Receita Federal que apresente proposta para revogar a resolução publicada no Diário Oficial da União que excluiu 17 ocupações do sistema de Microempreendedor Individual (MEI), a partir de 1º de janeiro.

A lista incluía professores particulares independentes, astrólogos e esteticistas, além de três subclasses, voltadas ao desenvolvimento e licenciamento de programas de computador. 

Também ocupações ligadas ao setor cultural (DJs, VJs, humoristas ou contadores de histórias, instrutores de artes cênicas, instrutores de arte e cultura, instrutores de música e proprietários de bar). 

O Sebrae calcula que a exclusão atingiria mais de 611 mil profissionais.

A medida foi muito criticada nas redes sociais. No Twitter, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), avisou que o Congresso derrubaria a exclusão por meio de um decreto legislativo. "Essa é uma decisão que não faz sentido. A cultura é a alma da nossa democracia", escreveu.

A Receita informou neste sábado que a Secretaria-Executiva do Simples Nacional (SE-CGSN) vai encaminhar ao Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) a proposta de revogação da medida. O comitê é formado por representantes da União, Estados e municípios. 

Junto com a revogação, o governo vai propor "ampla revisão" da relação das cerca de 500 atividades que podem atuar como MEI. Segundo a Receita, a revisão será feita "considerando dinamismo econômico que resulta no constante surgimento e transformação de novas ocupações".

A exclusão das ocupações foi publicada na sexta-feira no Diário Oficial da União. O texto é assinado pelo secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto. A mesma resolução incluiu outras cinco categorias no MEI, como motorista de aplicativo, serralheiro e quintandeiro. (Veja abaixo em detalhes)

O MEI permite ao pequeno empresário com faturamento anual de até R$ 81 mil o pagamento de valores menores para tributos como INSS, ICMS e ISS. Entre as vantagens está a emissão de nota por custo fixo no IR de R$ 55,90 mensais.

Com a formalização, o MEI pode emitir nota fiscal e ter benefícios previdenciários, como aposentadoria por idade, licença maternidade e auxílio-doença. A contribuição ao INSS é reajustada sempre que houver o aumento do salário mínimo. O benefício previdenciário também é aumentado nesse caso.

O programa de Microempreendedor Individual completou 10 anos em 2019. Segundo dados divulgados pelo Sebrae, o MEI é a única fonte de renda de 1,7 milhão de famílias no Brasil e  foi responsável por tirar mais de 2 milhões de empreendedores da informalidade.

Ocupações excluídas

  • astrólogo independente
  • cantor/ músico independente
  • desenvolvimento de programas de computador sob encomenda
  • desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis 
  • desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não customizáveis
  • disc jockey (DJ) ou video jockey (VJ) independente
  • esteticista independente
  • humorista e contador de histórias independente
  • instrutor de arte e cultura em geral independente 
  • instrutor de artes cênicas independente
  • instrutor de artes cênicas independente
  • instrutor de cursos gerenciais independente
  • instrutor de cursos preparatórios independente
  • instrutor de idiomas independente 
  • instrutor de informática independente
  • intrutor de música independente
  • professor particular independente 
  • proprietário de bar e congêneres, com entretenimento, independente 

Ocupações incluídas

  • motorista (por aplicativo ou não) independente
  • quitandeiro independente
  • serralheiro, exceto para esquadrias, sob encomenda ou não, independente
  • transportador intermunicipal coletivo de passageiros sob frete em região metropolitana independente
  • transportador municipal coletivo de passageiros sob frete independente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.