Aposentadoria pode ter idade mínima, admite Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu nesta segunda-feira pela primeira vez, durante instalação do Fórum Nacional da Previdência Social, a possibilidade de ser adotada uma idade mínima para que as pessoas possam se aposentar pelo INSS."Tem problema de idade? É possível que tenha. Vamos tentar resolver isso, mas discutindo com a responsabilidade de um País que quer prometer ao seu povo, daqui a alguns anos, um sistema de previdência que seja seguro", disse ele. Lula deu declarações desencontradas, no entanto, ao analisar a opinião de que as pessoas, no Brasil, se aposentam muito cedo. "Eu acho que tem trabalhador que poderia trabalhar um pouco mais", disse. Em seguida, ele afirmou que tem pessoa que começa a trabalhar com 14 anos e que, neste caso, "não pode esperar um pouco mais (para requerer a aposentadoria)". No caso das mulheres, que estatisticamente vivem, em média, mais do que os homens, Lula disse que é preciso considerar que elas tem dupla jornada. "Às vezes até mais que dupla jornada", afirmou. Pelas regras atuais, o homem pode requerer aposentadoria proporcional aos 53 anos de idade e 30 anos de contribuição, enquanto que a mulher tem direito à aposentadoria proporcional aos 48 anos de idade, tendo 25 de contribuição. Para ter direito a aposentadoria integral, o homem deve comprovar 35 anos de contribuição e a mulher, 30, sem a exigência de idade mínima.No caso de aposentadoria por idade, tem direito ao benefício os trabalhadores urbanos homens, aos 65 anos, e mulheres, aos 60 anos. Os trabalhadores rurais podem pedir aposentadoria por idade com cinco anos a menos: aos 60 anos, homens, e aos 55 anos, mulheres.Mudanças na previdênciaPara o presidente, as mudanças no sistema previdenciário não podem ser feitas "em um passe mágica" e que não vai "admitir" que sejam apresentadas soluções simplistas, como dizer que simplesmente é preciso acabar com os roubos. Segundo ele, o censo previdenciário está mostrando que há menos fraudes do que parece. Lula sugeriu então, que os olhos fossem fechados para imaginar o País sem um sistema de proteção ao trabalhador. "Imaginem o caos em que estaríamos", afirmou. Lula disse que não dará opiniões sobre a Previdência enquanto o Fórum estiver acontecendo, e disse que é preciso discutir o tema sem paixão, mas com a responsabilidade de quem está construindo um novo regime de Previdência Social no País.O presidente alfinetou os que advogam a tese de que a redução do déficit da Previdência elevaria os investimentos públicos. "Como se pagar um salário para o trabalhador que se aposentou não fosse investimento", disse o presidente.Ele lembrou que enquanto há pessoas que começam a trabalhar com 25 anos em escritório com ar condicionado, há pessoas que começam a trabalhar com 12 ou 13 anos, e que também há trabalho escravo. Lembrou ainda a situação das mulheres que fazem jornada dupla de trabalho, apesar de terem seu benefício questionado pelo fato de viverem mais.Lula afirmou que o Fórum Nacional da Previdência Social precisa trabalhar nos próximos seis meses "para construir um diagnóstico perfeito para o sistema" para que depois sejam apresentadas propostas ao Congresso Nacional. "Devemos apresentar propostas para garantir aos nossos netos e bisnetos que tenham previdência mais sólida que hoje", disse Lula, também enfatizando a necessidade de incluir aqueles que têm dificuldade para contribuir para o sistema, como os trabalhadores autônomos.Desejando boa sorte aos integrantes do Fórum - composto por trabalhadores, empresários e membros do governo, Lula mostrou confiança, se dirigindo ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que o Fórum vai apresentar uma proposta que "vai deixar o ministro da Fazenda daqui a 30 anos feliz da vida". Lula disse que é importante desmistificar avaliações que saem na imprensa e nas emissoras de TV. Ele acrescentou que sempre há pessoas querendo encontrar alguém responsável pelo fracasso do País ou pelo sucesso. O presidente Lula começou o seu discurso com a frase: "A bola começa a rolar", provocando risos dos participantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.