Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Aposentados que ganham acima do salário mínimo terão reajuste de 11,28%

Teto do benefício do INSS foi estabelecido em R$ 5.189,82

Luci Ribeiro, O Estado de S. Paulo

11 de janeiro de 2016 | 12h39

BRASÍLIA - Os benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) acima do salário mínimo (R$ 880,00) tiveram reajuste de 11,28% a partir de 1º de janeiro, conforme portaria dos ministérios do Trabalho e Previdência Social e da Fazenda publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União (DOU). 

O documento também estabelece que o teto da Previdência Social para 2016 é de R$ 5.189,82, superior ao de 2015, fixado em R$ 4.663,75. 

A portaria ainda traz tabela com as alíquotas de contribuição dos segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso. As alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1.556,94; de 9% para quem ganha entre R$ 1.556,95 e R$ 2.594,92; e de 11% para os que recebem entre R$ 2.594,93 e R$ 5.189,89.   

Valores e regras referentes a outros benefícios como auxílio-doença, auxílio-reclusão, seguros para pescadores e seringueiros e salário-família também constam do documento. 

Salário mínimo. O piso das remunerações também foi reajustado a partir de 1º de janeiro, mas por um porcentual um pouco maior: 11,6%. O valor passou de R$ 788 para R$ 880. Segundo o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, a medida terá impacto de R$ 30,2 bilhões nas contas públicas em 2016.

Dos 48,3 milhões de brasileiros que recebem o mínimo, 22,5 milhões são beneficiários do INSS, 13,4 milhões são empregados, 8,1 milhões trabalham por conta própria, 3,99 milhões são trabalhadores domésticos e apenas 169 são empregadores.

Tudo o que sabemos sobre:
aposentadoriainss

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.