Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Aposentar por idade é o mais adequado

Tenho 50 anos de idade e em 2013 completo 34 anos de registro. Em 2014, portanto, poderei entrar com o pedido de aposentadoria. Porém, ouvi dizer que é melhor a pessoa esperar ao menos chegar aos 53 anos, é isso mesmo? Outras vertentes dizem que o melhor é esperar os 60 anos para pegar o teto. O que é mais coerente?

FÁBIO GALLO É PROFESSOR DE FINANÇAS DA FGV, DA PUC-SP, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2013 | 02h05

O mais adequado em termos de previdência pública é buscar a aposentadoria por idade. Neste caso, as mulheres podem se aposentar aos 60 anos e os homens aos 65. Na aposentadoria por tempo de contribuição, por sua vez, o valor do benefício depende do fator previdenciário, que está relacionado à idade da pessoa e ao tempo de contribuição. Esse fator determina qual a porcentagem a ser recebida de benefício em relação ao teto. Consultando a tabela no caso de homens com 50 anos e contribuição por 34 anos, encontra-se o fator de 0,5795, ou seja, o benefício mensal será em torno de R$ 2.400. Para mulheres com a mesma idade e tempo de contribuição o fator é de 0,6711, o que leva o beneficio para algo como R$ 2.790. A perda em relação ao teto deve ser sim considerada, já que estamos tratando de um beneficio vitalício. O INSS pode não atender às necessidades de todos os aposentados, mas mantém uma gama de benefícios que não é encontrada em um único plano de seguro ou em planos de previdência do setor privado. Uma dica: organize bem as finanças, com um planejamento rigoroso e estenda ao máximo o período de poupança, tanto em contribuições à previdência pública quanto em outras formas de investimento, para poder usufruir de sua aposentadoria com muita tranquilidade.

Tenho 22 anos e R$ 45 mil na poupança, a qual rende em torno de 0,45% ao mês, o que considero muito pouco. Pretendo comprar uma casa e estou conseguindo depositar, no período de um ano, pelo menos R$ 25 mil nessa poupança. Gostaria de saber se há outro tipo de aplicação que me ajude a alcançar meu objetivo mais rapidamente.

Há outras opções que podem ajudá-lo a conquistar o seu objetivo. Mas tenha sempre em mente que buscar obter maior rendimento está atrelado a aceitar maior risco. Embora o ganho obtido na caderneta seja de 0,4551% ao mês, é importante lembrar que esse rendimento é líquido, porque sobre ele não há incidência de Imposto de Renda (IR) ou taxa de administração. Justamente por isso a caderneta de poupança tem tido melhor desempenho do que diversas outras aplicações do nosso mercado. Neste caso particular, mantendo os recursos na caderneta e conseguindo aplicar os valores indicados, será possível atingir uma soma superior a R$ 200 mil daqui a cinco anos e meio. Para tentar obter um rendimento maior, pode-se pensar em Letras de Crédito Imobiliário (LCI) ou do Agronegócio (LCA), que, para aplicações com horizonte de dois a três anos, têm oferecido bons ganhos. Além disso, não há incidência de IR para pessoas físicas e possui garantia de até R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Os títulos do Tesouro Direto também podem ser opções, mas atenção: há incidência de IR e alguns custos. Também há opções entre os fundos de renda fixa, mas é importante ficar atento às taxas de administração. Se a taxa for superior a 1,5%, os rendimentos projetados devem ser comparados com os da caderneta. Lembre-se de fazer as comparações sempre de forma líquida, em outros termos, compare os valores depois de descontar impostos e custos.

Comprei um apartamento e as parcelas iniciais (até a entrega das chaves) serão corrigidas pelo INCC mensalmente. Compensa tirar o dinheiro da poupança ou da aplicação para quitar antecipadamente as parcelas?

Sem dúvida é melhor buscar quitar o mais rapidamente possível as parcelas da dívida, mesmo no caso de crédito imobiliário. Em resumo, pagamos caro para financiar a casa própria. Para dar uma ideia do que significa a correção do INCC, em 2011 o IPCA foi de 6,5% enquanto o INCC foi de 7,48%, em 2012 a variação do IPCA foi 5,84% ao passo que o INCC foi de 7,12%. Mas verifique muito bem no contrato quais as condições para essa antecipação, para que você tenha segurança de que na época da entrega das chaves a construtora não venha com surpresas. Mesmo no caso do mutuário já estar em fase de pagamento do crédito imobiliário vale a pena a antecipação. Isso porque, apesar de este crédito ser uma das linhas com as taxas mais baixas do nosso mercado, ainda assim os juros são bastante altos se comparados com o de outros países.

Pergunte ao Gallo

Envie sua pergunta. Elas serão publicadas às segundas-feiras - seudinheiro.estado@estadao.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.