Apple admite ''falha'' sobre localização de usuários

Empresa promete corrigir sistema operacional do iPhone, que armazena informações por mais de um ano

Murilo Roncolato, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2011 | 00h00

A Apple publicou uma nota ontem admitindo falhas no sistema operacional dos celulares iPhone que permitiam o armazenamento exagerado (às vezes, o histórico ficava gravado por mais de um ano) e não encriptado de dados sobre a localização do aparelho. A empresa diz que não "rastreia a localização" dos usuários, mas que apenas mantém uma base de dados para tornar mais eficientes serviços de geolocalização. Para corrigir as falhas (ou "bugs") descobertos e assumidos, uma nova versão do iOS será lançada "nas próximas semanas".

Em entrevista ao blog Mobilized, Steve Jobs, presidente licenciado da Apple, disse que as pessoas chegaram a conclusões erradas sobre o registro da localização dos usuários, mas admitiu erros. Ele se lamentou que a indústria de tecnologia "não tenha feito um bom trabalho de educação dos seus usuários sobre temas que se tornaram tão complicados". "Por isso, (as pessoas) acabaram tendo muitas conclusões erradas na semana passada", após os comentários de dois pesquisadores.

No comunicado, a Apple se explicou dizendo que mantinha uma base de dados com informações "anônimas e criptografadas" da localização dos aparelhos a partir de hotspots Wi-Fi e torres de celular, mas que esse sistema se tornou "complexo e difícil de explicar" de uma maneira simples.

iPhone branco. Dez meses depois de seu anúncio e de muita especulação, o iPhone 4 branco começa a ser vendido hoje nos Estados Unidos e em outros 27 países. Por enquanto, não há previsão de lançamento no Brasil, mas o comunicado diz que outros países terão acesso ao smartphone "logo". / COLABOROU CARLA PERALVA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.