Apple critica sistema Android e Google reage

Google e Apple entraram em guerra nos últimos dois dias, com ataques verbais e virtuais dos dois lados. Tudo começou com críticas ao Android (plataforma para celulares do Google) feiras por Steve Jobs durante o anúncio dos bons resultados na venda de iPhones, apesar de números aquém do esperado pelos investidores na venda de iPads.

Gustavo Chacra CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2010 | 00h00

Jobs ironizou os tablets que devem ser lançados em até seis meses para concorrer com o iPad, produzido pela sua empresa. Esses novos computadores de mão devem utilizar o sistema operacional Android, do Google. Na avaliação de Jobs, com apenas sete polegadas, eles serão muito pequenos para as mãos de um adulto.

O presidente da Apple também atacou diretamente o Android, que vem sendo um sucesso no mercado de celulares. Jobs começou dizendo que não é correto afirmar que a disputa das plataformas da Apple e do Google deva ser descrita como "fechada contra aberta". O certo, segundo ele, é "integrado (iOS, da Apple) contra fragmentado (Android, da Google)".

O Google reagiu com uma mensagem do executivo Andy Rubin, criador do Android, no Twitter. Com ironia, ele afirmou que a definição de "aberto é: "mkdir android ; cd android ; repo init -u git://android.git.kernel.org/platform/manifest.git ; repo sync ; make"". Este comando permite que uma cópia do Android seja instalada em computadores com sistema Linux. Assim, o usuário cria sua própria versão. Basicamente, é aberto para qualquer pessoa que quiser usá-lo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.