Apple fatura mais com celulares do que a Nokia

Fabricante finlandesa, que divulgou resultados ontem, ainda está à frente em unidades vendidas

, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2011 | 00h00

HELSINQUE

A Apple se tornou o maior vendedor do mundo de telefones celulares em faturamento no primeiro trimestre deste ano. A empresa de Steve Jobs ultrapassou a Nokia pela primeira vez na história, informou ontem a empresa de pesquisa Strategy Analytics.

"Com fortes volumes e altos preços, a fabricante de computadores pessoais capturou com sucesso a liderança em faturamento no mercado de celulares em menos de quatro anos", disse o analista Alex Spektor.

A receita da Apple com o iPhone subiu para US$ 11,9 bilhões no último trimestre, enquanto o faturamento da Nokia com celulares caiu para US$ 9,4 bilhões.

A reversão na liderança do mercado em receita não chegou a surpreender os especialistas do setor, depois que a Apple, sediada em Cupertino, na Califórnia, informou que as vendas de iPhones atingiram 18,7 milhões no primeiro trimestre deste ano, um aumento de 113% em relação aos 8,8 milhões do mesmo período de 2010.

A Apple não divulga seus preços médios de venda para as operadoras, alegando razões estratégicas. Mas, de acordo com os cálculos da Strategy Analytics, a empresa vendeu cada iPhone por US$ 638 em média (os consumidores podem comprar mais barato, porque as operadores subsidiam o aparelho em troca dos contratos).

O valor ultrapassa os US$ 625 que a empresa praticou em dezembro e superou em muito a média de US$ 87 por celular da concorrente Nokia.

Mesmo em unidades, a Apple segue ganhando terreno. A empresa de pesquisa IDC informou que a Apple aumentou sua participação no mercado de smarthphones para 18% no primeiro trimestre, dois pontos porcentuais a mais que no primeiro trimestre de 2010.

Declínio. A Nokia divulgou ontem um resultado melhor que o esperado para o primeiro trimestre do ano, mas sua participação caiu para 29% no mercado geral de celulares, incluindo smartphones, pela primeira vez em mais de uma década.

No mesmo período de 2010, a participação da empresa estava em 33%. Os dados mostram que a maior fabricante mundial de celulares segue perdendo mercado para seus rivais.

O lucro líquido da companhia finlandesa no primeiro trimestre caiu 5 milhões comparado com igual período de 2010, para 344 milhões (US$ 499 milhões) . O faturamento aumentou 9%, para 10,4 bilhões. As ações da Nokia chegaram a subir bastante, porque os mercados haviam antecipado uma queda ainda maior nos lucros, mas fecharam praticamente estáveis em 5,96 (US$ 8,65) na bolsa de valores de Helsinque.

A Nokia está enfrentando uma competição feroz nos smartphones, principalmente do iPhone da Apple, do Android do Google e do BlackBerry da RIM. A Nokia vendeu 24 milhões de smartphones de janeiro a março, 13% a mais que no mesmo período de 2010, mas sua participação no mercado de aplicativos caiu de 39% para 24% no período. De janeiro a março, a Nokia vendeu 108,5 milhões de aplicativos, abaixo das expectativas da Strategy Analytics.

"Os volumes da Nokia estão melhores que o esperado e os preços se fortaleceram", disse Neil Mawston, analista da Strategy Analytics. "Mas é evidente que a competição ainda é forte". Para o especialista, a empresa pode esperar melhores resultados nos próximos trimestre por conta da aliança recém-anunciada com a Microsoft.

O presidente da Nokia, Stephen Elop, assinou um acordo definitivo com a empresa de Bill Gates para desenvolver software para smartphones. Anunciada em fevereiro, a parceira tornará o software de celular do Windows na principal plataforma utilizada pela companhia finlandesa./ REUTERS E AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.