Yuya Shino/File Photo/Reuters
Yuya Shino/File Photo/Reuters

Apple se arma para brigar em vídeo online

Gigante da tecnologia investe em conteúdo para enfrentar Netflix, Disney,Amazon e Google

THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2017 | 05h00

A briga dos serviços de streaming está esquentando – e um novo poderoso peso-pesado está entrando no ringue. Trata-se da Apple, que anunciou na semana passada seu terceiro programa original.

A próxima atração é um drama espacial de Ronald D. Moore, produtor executivo que já foi responsável por grandes sucessos do gênero, como Battlestar Galactica e Outlander.

No mês passado, a Apple conseguiu ganhar uma disputa pelos direitos de uma comédia passada em um programa jornalístico matutino que será estrelada por Reese Witherspoon (Big Little Lies) e Jennifer Aniston (a Rachel, de Friends). 

Em outubro, a gigante da tecnologia havia anunciado sua primeira aquisição, uma refilmagem da série Histórias Maravilhosas, cuja primeira encarnação foi produzida por Steven Spielberg nos anos 1980. 

Vai levar pelo menos um ano para que qualquer um desses três programas esteja disponível para os consumidores. E, até agora, ainda não está claro como a Apple fará a distribuição desses conteúdos. Mas o afã da companhia em entrar no setor mostra como a competição está selvagem.

++ O melhor investimento desde 1926? Apple

Na quinta-feira, a Disney anunciou que adquiriu a 21st Century Fox para reforçar seu ambicioso plano na área de streaming. O Netflix, líder do segmento, planeja gastar nada menos do que US$ 8 bilhões em conteúdos originais no ano que vem. A Apple separou aproximadamente US$ 1 bilhão para o mesmo objetivo.

Novo título. O título de ficção científica anunciado na semana passada ainda não foi definido, mas seu produtor tem um currículo forte. Battlestar Galactica, que reviveu um original dos anos 1970, foi considerado um sucesso de crítica, enquanto Outlander é um dos principais produtos do canal a cabo Starz. Os primeiros trabalhos de Ronald D. Moore como produtor foram em antigas encarnações do clássico Jornada nas Estrelas. 

++ Google compra divisão de celulares da HTC por US$ 1,1 bilhão

O novo programa de ficção científica será produzido pela Sony e pela produtora do próprio Moore, a Tall Ship Productions. Essa associação tem raízes antigas, já que os líderes do braço de televisão da Apple – Jamie Erlicht e Zack Van Amburg – trabalhavam na Sony antes de mudar de emprego.

Mais conteúdo sobre:
Apple Disney Netflix Sony Televisão Marketing

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.