Appy: grau de investimento é fruto de política econômica

O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, afirmou hoje que a obtenção do grau de investimento pela agência de classificação de risco Standard & Poor''s (S&P) na última quarta-feira (dia 30) é fruto do conjunto de política econômica do Brasil, e não somente por causa da política monetária. "De forma geral, a agência elogiou a política econômica do Brasil. Elogiou as mudanças estruturais, o compromisso com a estabilidade de preços, solidez das contas externas e também fez referências à trajetória de redução da dívida pública como conquista importante", afirmou. "Eu vejo mais na imprensa brasileira do que na agência internacional essa discussão de que o responsável pelo grau de investimento é a política monetária e não a política fiscal. Acho que é o conjunto das políticas", acrescentou.Em entrevista coletiva após participar da abertura de seminário sobre Política Fiscal na América Latina, promovido pela Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) e pelo Ministério da Fazenda, Appy destacou que o governo tem buscado compatibilizar uma política fiscal responsável, que reduza o endividamento público e, ao mesmo tempo, que reduza as desigualdades sociais e promova uma maior eficiência econômica. "O que nós temos feito nos últimos anos mostra que é possível compatibilizar esses objetivos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.