Apreensão da Receita em Santos bate recorde em 2007

A Alfândega de Santos divulgou hoje que as apreensões da Receita Federal na região foram recorde em 2007, com mercadorias avaliadas em R$ 118 milhões, 18 mil toneladas de produtos e 930 pessoas representadas ao Ministério Público para fins penais. No ano anterior, foram R$ 62 milhões em cargas e 390 representações. No entanto, o peso das cargas de 2006 foi maior, 19 mil toneladas, porque em sua maioria eram produtos destinados a lojas de R$ 1,99, enquanto em 2007 as mercadorias apreendidas eram de valor agregado superior.O Inspetor-Chefe da Receita Federal, José Guilherme Antunes de Vasconcelos, aproveitou a consolidação dos dados para explicar a última apreensão do ano passado: um contêiner com cerca de 120 mil bolsas e mochilas falsificadas de marcas famosas como Dolce & Gabbana, Gucci, Miu-Miu,e Kippling.Avaliada em R$ 1,5 milhão, a carga totalizava sete toneladas e estava disposta a partir da terceira e quarta fileira de um contêiner que continha outras bolsas, comuns, de marcas próprias e valor baixo, que somavam mais 4 toneladas. O navio vinha do porto de Chiwan, da China, e tanto a rota quanto o tipo do produto declarado despertaram a suspeita da Divisão de Vigilância e Controle Aduaneiro, que averiguou 100% do contêiner.Segundo Vasconcelos, a carga foi importada por uma única empresa da cidade de São Paulo que ainda não havia atuado no comércio internacional. "Provavelmente ela imaginava que conseguiria entrar com facilidade com esse tipo de produto pelo Porto de Santos e foi surpreendida". O inspetor afirmou que o contêiner desembarcou no cais no final do ano e a carga provavelmente seria destinada ao comércio natalino. "Algumas bolsas tinham qualidade muito boa, uma falsificação de bom nível", disse o inspetor, explicando que o produto foi submetido à perícia das empresas, que confirmou a pirataria. Agora, as bolsas serão incineradas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.