Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Aquecimento global pode reduzir produção agrícola, diz estudo

O aquecimento global pode causar umsério declínio na produção do setor agrícola até 2080, com umaqueda da produtividade em alguns países em desenvolvimento euma melhora em alguns poucos países ricos, mostrou um estudo naquarta-feira. Índia, Paquistão, a maior parte da África e da AméricaLatina devem ser as regiões mais atingidas, disse o economistaWilliam Cline, autor do estudo, publicado pelo Centro paraDesenvolvimento Global e pelo Instituto Peterson para EconomiaInternacional. Já os Estados Unidos, a maior parte da Europa, Rússia eCanadá vão provavelmente ver ganhos agrícolas se a mudançaclimática continuar em seu curso atual, mostrou a pesquisa. No geral, a previsão é que a produtividade agrícola mundialcaia entre 3 por cento e 16 por cento até 2080. Entre os países desenvolvidos, o panorama da Austrália é omais desanimador, com previsões de declínios na produção quevariam de 16 por cento a 27 por cento. No mundo em desenvolvimento, os declínios na Índia foramcalculados entre 29 e 38 por cento, e no Sudão e Senegal seriamde mais de 50 por cento de quedas na safra. A grande diferença entre o maior e o menor número daprevisão depende da quantidade de emissão de dióxido de carbonoque afeta de fato algumas safras, disse Cline. Plantas absorvem dióxido de carbono, gás do efeito estufaemitido por usinas de energia alimentadas por carvão, veículoscom combustível à base de petróleo, etc. Alguns analistas afirmam que o aquecimento global pode serna verdade um impulso às plantações, fazendo do impacto damudança climática causada pelo homem algo insignificante. Elescitam estudos de laboratórios que mostraram ganhos em potencialnas produtividades de até 30 por cento quando as emissões dedióxido de carbono foram elevadas. Cline discute essas conclusões, dizendo que testessimilares mostraram ganhos de cerca de 15 por cento. Para o milho, já existe tanto dióxido de carbono naatmosfera que mais desse gás no ar não ajudaria a melhorar aprodutividade, disse Cline. Trigo, arroz e soja continuam se beneficiando do aumentodas emissões de dióxido de carbono, mas esse benefício deve sereduzir, disse ele. "Já existe um sinal de que há fadiga da Revolução Verde",disse ele, referindo-se à transformação tecnológica daagricultura entre os anos 1940 e 1960 que elevou asprodutividades. Ele destacou que o crescimento médio anual da produção nasdécadas de 1960 e 1970 era de 2,6 por cento por ano, mas apartir de 1980 caiu para 1,8 por cento.

DEBORAH ZABARENKO., REUTERS

12 de setembro de 2007 | 17h08

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSAFRASAQUECIMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • O Pix é seguro? Veja dicas de especialistas sobre o sistema de pagamentos
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.