Sergei Karpukhin|Reuters
Sergei Karpukhin|Reuters

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Arábia Saudita acredita que corte na produção de petróleo pode durar mais que o previsto

Atual prazo acordado entre os membros e não-membros da Opep é de que interrupção seguiria até dezembro deste ano

Gabriela Korman, com informações da Dow Jones Newswires

23 de janeiro de 2018 | 15h36

O ministro de Petróleo da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, acredita que o acordo de corte na produção da commodity realizado pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), além de não-membros do cartel, pode passar do prazo estipulado, indo "além de 2018".

O atual prazo acordado entre os membros e não-membros do cartel é de que o corte na produção seguiria até dezembro deste ano. Em junho de 2019, está prevista uma revisão do acordo, em reunião em Viena.

++ FMI eleva projeções para o Brasil e para o mundo

++ Na Suíça, Temer diz que julgamento de Lula tranquilizará investidores

Segundo o ministro saudita, que concedeu entrevista durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, a entrega dos cortes dentro do acordo da Opep é alta. Para al-Falih, "o mercado é grande o suficiente para acomodar todos os players". /Com informações da Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.