Arábia Saudita afirma que pode elevar oferta de petróleo

A Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo do mundo, pode compensar as deficiências no abastecimento provocadas pela crise na Líbia assim que companhias europeias encaminharem o pedido, afirmou hoje uma autoridade do setor petroleiro saudita. "Nós podemos fornecer petróleo da mesma qualidade ao mercado assim que a Saudi Aramco receber pedidos de companhias de petróleo da Europa", disse.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

24 de fevereiro de 2011 | 10h43

"Nós podemos fornecer petróleo por meio do nosso oleoduto Leste-Oeste para o Mediterrâneo, ou nós podemos fazer trocas com o petróleo bruto do oeste da África", acrescentou. Até agora, a Arábia Saudita não recebeu nenhum pedido de petróleo adicional em razão dos problemas na Líbia, segundo o oficial.

Caso a Arábia Saudita opte por uma troca com o oeste da África, o petróleo da Nigéria e de Angola será redirecionado para a Europa, em vez da Ásia, enquanto o petróleo extra do reino saudita substituirá as ofertas dos dois países africanos.

Esta semana, o Ministro do Petróleo árabe, Ali Naimi, afirmou que o país tem 4 milhões de barris de capacidade ociosa. Já segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), o país tem 3,5 milhões de barris de capacidade ociosa.

A autoridade da Arábia Saudita afirmou também que o atual aumento nos preços do petróleo não é justificado nem causado pelo medo e disse que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) ainda não vê necessidade de uma reunião emergencial antes de junho. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.