Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Arábia Saudita amplia produção e preço do petróleo sobe menos

Produção foi aumentada em mais de 700 mil barris por dia e cotação internacional atingiu mais de US$ 111 ontem

, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2011 | 00h00

O petróleo tipo Brent foi negociado ontem acima de US$ 111 por barril, mas abaixo do recorde de dois anos e meio, depois que a Arábia Saudita, maior exportador mundial, aumentou a produção para acalmar receios de problemas no abastecimento por causa da crise na Líbia.

A Arábia Saudita aumentou sua produção em mais de 700 mil barris por dia, para um nível superior a 9 milhões de barris diários, disse uma fonte ligada à área de produção saudita.

As negociações foram agitadas durante o dia, com os investidores preocupados com o agravamento da situação na Líbia, onde a paralisação da produção chegou a três quartos do total, de 1,6 milhão de barris por dia.

Porém, as estimativas da queda do suprimento não puderam ser confirmadas porque as condições continuam instáveis, com o movimento rebelde lutando contra forças leais a Muamar Kadafi pelo controle dos campos de petróleo e portos no leste do país.

As paralisações na produção levaram o petróleo tipo Brent a subir para quase US$ 120 e o óleo usado nos Estados Unidos para mais de US$ 103 na quinta-feira.

"Os mercados de petróleo parecem ter se estabilizado por agora, pelo menos em relação ao pico de quinta-feira, com sinais de que a Arábia Saudita está respondendo à interrupção de produção na Líbia com algum aumento na produção", disse Tim Evans, analista do Citi Futures Perspective, em Nova York.

Semana. Os preços do petróleo fecharam em alta, com os contratos para abril negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) acumulando um ganho de 13,5% na semana. A rebelião contra o governo de Kadafi continua no foco das atenções do mercado. "Sem dúvida, as pessoas não querem entrar "vendidas" no fim de semana", comentou Stephen Schork, editor do Schork Report.

Para os analistas da JBC Energy, "a questão crucial continua a ser se o regime de Kadafi será derrubado em poucos dias, com um esquema razoável para sua sucessão, ou se o país está indo na direção de uma guerra civil prolongada". Analistas também disseram que aumentos de oferta de petróleo pela Arábia Saudita ou pela Agência Internacional de Energia (AIE) poderão conter a alta dos preços.

Ontem a Intercontinental Exchange (ICE) elevou as exigências de margem para os contratos futuros do petróleo Brent, o que levou operadores especulativos a realizar lucros. Ainda assim, o diferencial de preço entre o Brent e o petróleo negociado na Nymex permaneceu elevado, acima dos US$ 14 por barril.

Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para abril fecharam a US$ 97,88 por barril, em alta de US$ 0,6 (0,62%). Na ICE, os contratos do petróleo Brent para abril fecharam a US$ 112,14 por barril, em alta de US$ 0,78 (0,7%)./ AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.