Arábia Saudita quer barril do petróleo a US$ 60 neste ano

Esse é o nível que o país acha que encorajariainvestimentos em novos campos petrolíferos

Reuters

01 de março de 2017 | 00h01

DUBAI - A Arábia Saudita quer que o preço do barril de petróleo suba para cerca de US$ 60 neste ano, disseram cinco fontes de países-membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e da indústria petrolífera.

Esse é o patamar que o país e seus aliados do golfo – Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Catar– acreditam que encorajaria o investimento em novos campos, mas não levaria a um saldo na produção de gás de xisto dos Estados Unidos, disseram as fontes.

Opep, Rússia e outros países produtores prometeram no ano passado reduzir a produção para cerca de 1,8 milhão de barris por dia a partir de 1.º de janeiro. O primeiro corte na produção em oito anos tem o objetivo de elevar os preços e se livrar de um excesso de produção.

Os preços do petróleo subiram em mais de 14% desde o pacto firmado em novembro, mas ainda gira na casa de US$ 56, apesar de um cumprimento recorde do acordo entre países-membros e não membros da organização.

Autoridades da Opep têm dito repetidamente que o grupo não busca um preço específico para o petróleo e seu foco é ajudar o mercado a se reequilibrar.

Mas nos bastidores, Riad e seus aliados do Golfo na Opep esperam ver um nível mais alto dos preços, porque uma cotação baixa afeta suas finanças e gera temores de um desabastecimento no futuro.

Mais conteúdo sobre:
Arábia SauditaOpep

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.